Publicidade

Estado de Minas

Dilma diz que plano B para eleição seria covardia com Lula

Em Porto Alegre, a ex-presidente afirmou, ao lado do petista, que o julgamento é continuação do golpe que ela sofreu com o impeachment


postado em 23/01/2018 20:47 / atualizado em 23/01/2018 20:59

Dilma saiu em defesa do padrinho político na véspera do julgamento, em Porto Alegre(foto: AGPT)
Dilma saiu em defesa do padrinho político na véspera do julgamento, em Porto Alegre (foto: AGPT)

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) afirmou nesta terça-feira (23), em ato de apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Porto Alegre, que o PT não tem plano B para as eleições de outubro. “Sempre me perguntam: por que vocês não criam um plano B? Sabe porquê ? Quem acredita na inocência de uma pessoa é um covarde se procurar substituí-la sem ter praticado crime. Só existe um plano e esse plano é Lula candidato, hoje e amanhã. Nosso caminho até 2018 tem esse nome”, afirmou a petista.
 
Dilma reafirmou que foi vítima de um “golpe de estado”, que lhe tirou o mandato com o impeachment, e disse que impedir Lula de ser candidato é uma continuidade desse processo. “O presidente Lula é inocente das acusações. Enquanto os culpados, aqueles que andam com mala para cima e para baixo circulam livremente, o presidente está sendo julgado sem nenhum fundamento”, disse.
 
A ex-presidente afirmou que o “tal do triplex” já está mais que provado que pertence à OAS. “Inclusive a juíza deu o apartamento par pagar dívida desta empresa com um credor”, afirmou.

Dilma reafirmou que Lula sofre perseguição, mas disse ter esperança que o TRF 4 reconheça que o país precisa de Justiça e não persiga ninguém. Ela afirmou que os aliados de Lula vão lutar em todas as instâncias do Judiciário pela absolvição do petista.

Segundo a ex-presidente, o país precisa de Lula para ter um caminho de esperança. "O Brasil já precisou de uma mulher, e agora precisa de um homem, e esse homem é Lula".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade