Publicidade

Estado de Minas

Pai de presidente do TST diz não querer constranger Temer

Gandra considera o filho 'habilitado' para suceder Teori no Supremo, mas diz que não faz pressão pelo nome


postado em 24/01/2017 08:01 / atualizado em 24/01/2017 08:45

Ives Gandra é amigo do presidente há 40 anos, mas disse que não vai interceder pelo filho(foto: Gladyston Rodrigues / EM / D.A. Press )
Ives Gandra é amigo do presidente há 40 anos, mas disse que não vai interceder pelo filho (foto: Gladyston Rodrigues / EM / D.A. Press )
Com o filho cotado para assumir uma cadeira no Supremo Tribunal Federal (STF), o jurista Ives Gandra Martins afirmou que não pretende tentar influenciar a decisão do presidente Michel Temer, de quem disse ser amigo há 40 anos.    

 

Para Martins, o atual presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Ives Gandra Martins Filho, é "habilitado" para o cargo, a exemplo de outros nomes que também são cogitados.

"Ele está muito habilitado (para o cargo), mas minha postura nesses 81 anos foi nunca constranger amigos que estão no poder. Não telefonei e não vou telefonar para ele", disse Martins.

Questionado sobre o processo de escolha do novo relator da Lava-Jato, Martins entende que Temer foi "prudente" ao declarar que só indicará o novo ministro da Corte após a definição da relatoria.


"Ele fez muito bem. Se tivesse que esperar a distribuição para um novo ministro, que deve ser aprovado pelo Senado, levaria um tempo enorme."

Para o jurista, a distribuição do caso a um dos revisores daria mais agilidade, pois ele sempre acompanha o trabalho de relator.


Publicidade