Publicidade

Estado de Minas

Área em disputa pelas prefeituras de BH e Nova Lima vai virar parque


postado em 09/04/2015 06:00 / atualizado em 09/04/2015 09:30


O prefeito de Nova Lima, Cassio Magnani (PMDB), anunciou nessa quarta-feira (8) que vai transformar uma área de 196 mil metros quadrados, no Bairro Jardim Canadá, em um parque. A decisão contraria uma vontade do prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), que no final do ano passado enviou um projeto de lei para a Câmara da capital pedindo permissão para que o local fosse vendido. Na área, conhecida como Estação Ecológica dos Fechos, que fica entre a BR-040, o distrito de São Sebastião das Águas Claras (Macacos) e os condomínios Vale do Sol, Pasárgada e Morro do Chapéu, estão sete nascentes responsáveis pelo abastecimento de parte da Região Sul de Belo Horizonte, com vazão de 500 litros de água por segundo.


Magnani explica que a área foi doada pela extinta Mineração Morro Velho, em 1958, para a prefeitura da capital, com a condição que fosse criado um parque no local e que o poder público cumprisse várias condicionantes. “Na época BH tinha mais condições de fazer o parque, pois Nova Lima era paupérrima”, avalia o prefeito. Porém, os anos passaram e o local não foi transformado em parque. Em 2009, já com Lacerda a frente da PBH, a prefeitura da capital assinou um decreto cedendo o terreno novamente para Nova Lima por 20 anos.


O anúncio do prefeito de Nova Lima foi acompanhado por três vereadores que fazem oposição a Lacerda em Belo Horizonte. Gilson Reis (PCdoB), Adriano Ventura (PT) e Tarcísio Caixeta (PT). Questionado se a decisão de criar o parque, contrariando o desejo do prefeito de BH, era um ato político, o prefeito de Nova Lima negou e disse que o intuito é preservar o meio ambiente. “Nós faríamos de qualquer jeito”, garantiu Magnani.

O prefeito de Nova Lima disse que se reuniu com secretários da PBH e com o vice-prefeito, Délio Malheiros (PV), avisando que tomaria essa decisão. Magnani lembra que recebeu a proposta da PBH de criar no local um porto seco. Quando enviou o projeto para a Câmara da capital, Lacerda argumentou que o dinheiro obtido com a venda do terreno seria destinado para habitação popular. Em nota, a PBH informou que aguarda a publicação do decreto para analisá-lo e definir quais medidas irá tomar. O prefeito de Nova Lima não tem estimativa de qual será o custo e nem do tempo para a implantação do parque e informa que serão feitos estudos.


Publicidade