Publicidade

Estado de Minas

Dilma condena 'mentiras' e critica Marina

Em visita a Ribeirão das Neves, a presidente escutou gritos de apoio e vaias, e aproveitou para dizer que ama a cidade


postado em 23/09/2014 06:00 / atualizado em 23/09/2014 07:33

"Candidatos mudam de programa como quem muda de casaca" - Dilma Rousseff (PT), presidente e candidata à reeleição (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A press)

Na segunda visita a Minas Gerais em 10 dias, a presidente e candidata à reeleição, Dilma Rousseff (PT), escolheu Ribeirão das Neves, na região metropolitana, para pedir o voto dos mineiros. Em breve discurso feito do alto de uma caminhonhete – de onde partiu para uma carreata –, a petista pediu aos eleitores que não se deixem levar por “mentiras” divulgadas por campanhas adversárias.

“Falta pouco para as eleições, elas são daqui a 13 dias. Nesses dias temos que parar para pensar. Temos neste momento muita gente que continua faltando com a verdade e dando informações incompletas”, reclamou a candidata, justificando que falava também pelo candidato a governador Fernando Pimentel, que se recupera de uma faringite. “Quem combate a mentira é a verdade”, emendou Dilma, que prometeu voltar à cidade depois das eleições para comemorar a vitória dela e de Pimentel e firmar parcerias em benefício do município.

No entanto, em meio aos gritos de apoio, Dilma escutou vaias ao ser anunciada a presença da prefeita Daniela Corrêa (PT) no palanque improvisado e ao tentar falar para uma professora que usaria recursos do petróleo para investir na educação. Militantes presentes no evento, abafaram as vaias e o discurso da candidata com gritos de “olê, olê, olê, olá, Dilma”. A resposta dela foi dizer que “ama” a cidade, que tem 185,4 mil eleitores.

No dia mundial sem carro, a presidente anunciou em entrevista coletiva que o governo estuda um plano de financiamento público para bicicletas, que alegou ser um transporte complementar “saudável” e “correto” do ponto de vista ambiental. Ao tratar do assunto, listou uma cartilha de R$ 143 bilhões em ações adotadas pela gestão petista em mobilidade urbana, tais como BRTs, metrô, transporte fluvial, monotrilhos e VLTs.

Aproveitou para criticar a adversária do PSB Marina Silva, que segundo ela quer enfraquecer o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). “Tem gente que é contra o financiamento dos bancos públicos, quer retirar ou diminuir o papel dos bancos públicos. A candidata Marina propõe isso no seu programa. Essas obras só são viáveis porque o BNDES e a Caixa Econômica Federal são agentes de financiamento”, argumentou a candidata.

Dilma também rebateu declarações de Marina de que ela quer ganhar as eleições com um “cheque em branco”, referindo-se ao fato de a petista ainda não ter apresentado seu plano de governo. Segundo a candidata à reeleição, suas propostas já são anunciadas nos programas de rádio e televisão, além de ter várias realizações que já são conhecidas pelos brasileiros e serão mantidas, como por exemplo o Minha Casa, Minha Vida, o Pronatec e o Ciência sem Fronteiras.

“Acredito que tem um problema, eu não sei em todas, mas pelo menos em duas candidaturas, que é o seguinte: um dia defendem uma coisa, e no outro dia, defendem outra”, disse, completando que alguns candidatos mudam de programa como quem muda de “casaca”. “Não venham querer passar para nós uma coisa que não se caracteriza conosco. Todos os nossos programas são claros, estão na realidade”, afirmou, completando que pela sua experiência no Planalto ela sabe quanto custa e como colocar em prática suas promessas.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade