Publicidade

Estado de Minas CAMPANHA EM BH

Pimenta fala sobre denúncias de ex-diretor da Petrobras e ataca PT

O candidato deu as declarações em visita às Olimpíadas do Conhecimento, no Expominas, em Belo Horizonte


postado em 06/09/2014 16:25 / atualizado em 06/09/2014 16:31

Um dia depois de vir à tona esquema de distribuição de propinas a parlamentares, governadores e ministro na Petrobras, o candidato ao governo de Minas Pimenta da Veiga (PSDB) avaliou que haverá repercussão do fato nas eleições, mas não sabe medir qual o tamanho desse impacto. “Hoje se abriu o fato mais estarrecedor da corrupção pública no país que eu tenha notícia. Não quero avaliar a consequência eleitoral”, afirmou neste sábado, em visita às Olimpíadas do Conhecimento, no Expominas, em Belo Horizonte.

O tucano aproveitou para atacar o governo do PT. “Isso bate no coração do PT, porque corrobora com todas as coisas que dizíamos e denunciávamos na Petrobras”, disse Pimenta, para quem o escândalo é um mensalão “muito mais forte que o anterior”.

Em depoimentos prestados aos procuradores do Ministério Público Federal de Curitiba e a policiais desde 29 de agosto, quando assinou um acordo da delação premiada, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa citou a participação de pelo menos 61 parlamentares — 49 deputados e 12 senadores —, seis governadores e um ministro que estariam no esquema, envolvendo PMDB, PT, PP, PTB e PR.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade