Publicidade

Estado de Minas

Lacerda vai focar realizações à frente da prefeitura nos programas de TV

Padrinho político vai aparecer somente a partir de setembro


postado em 18/07/2012 06:00 / atualizado em 18/07/2012 08:47

Marcio Lacerda cumprimenta eleitores durante visita a obra de uma unidade educação infantil no Bairro Jardim Felicidade, Região Norte (foto: Marcus Desimoni/Divulgação )
Marcio Lacerda cumprimenta eleitores durante visita a obra de uma unidade educação infantil no Bairro Jardim Felicidade, Região Norte (foto: Marcus Desimoni/Divulgação )


Diferentemente das eleições de 2008, o candidato à reeleição em Belo Horizonte, o prefeito Marcio Lacerda (PSB), vai aparecer sem seu principal padrinho político, o senador Aécio Neves (PSDB), nos programas de televisão que vão ao ar em agosto. A estratégia é usar o primeiro momento de tempo na telinha para prestar contas dos três anos e meio à frente da prefeitura da capital mineira. O tucano só deverá começar a aparecer ao lado do socialista no fim de setembro. A ideia é que ele não fique marcado como o candidato de Aécio, como aconteceu no pleito anterior, quando, além do senador, Lacerda tinha como cabo eleitoral o ministro e ex-prefeito Fernando Pimentel (PT). As informações foram repassadas por uma fonte ligada à coordenação da campanha do socialista.

“Por enquanto, a ideia é focar muito em Belo Horizonte, em Minas. Não queremos expor apoio externo, inclusive para contrapor à campanha do Patrus Ananias (PT), que vai trazer pessoas de fora”, ressaltou a fonte. Conforme informações de bastidores, a coordenação da campanha de Lacerda percebeu que a estratégia usada em 2008, de intensificar a participação dos padrinhos políticos na televisão, não funcionou. Na época, os eleitores começaram a achar que Aécio ou Pimentel eram os candidatos, por isso, no segundo turno, eles reduziram a participação dos dois no programa eleitoral.

Lacerda gravou até o momento dois programas de televisão. Mas a equipe de filmagem do prefeito já está fazendo um trabalho intenso nas ruas, capturando as obras executadas durante a administração do socialista. Uma das bandeiras do programa deverá ser a implantação de Unidades Municipais de Educação Infantil (Umei). Ontem, o prefeito visitou a obra da Umei que está sendo construída no Bairro Jardim Felicidade, Região Norte. Ele informou que 35 Umeis estão prontas e 96 estão em construção. “A região está bem servida por um complexo social, de saúde e de educação. É o que a cidade precisa. As pessoas daqui são menos favorecidas do ponto de vista econômico-social, precisam de uma ação forte do poder público e, nesses três anos e meio, procuramos tratar com muito carinho dessas regiões”, afirmou.

Lacerda também comentou a decisão da Justiça Eleitoral que segunda-feira suspendeu a intervenção da Executiva Nacional no PSD de Belo Horizonte. “Sempre disse que devemos acatar e respeitar as decisões da Justiça. E eu entendo que foi uma decisão justa, embora preliminar”, afirmou o prefeito, acrescentando que a intervenção da direção nacional “foi intempestiva, e ilegal”. “Portanto, a Justiça está funcionando.” O segundo ato de campanha do prefeito nas ruas – o primeiro foi no Mercado Central, sábado – está marcado para hoje, ao meio-dia, no Barreiro. Quinta-feira está prevista uma caminhada no Centro da cidade.

Crescimento

A Executiva Estadual do PSB se reuniu ontem pela manhã para discutir o quadro eleitoral no estado. O partido vai lançar 111 candidatos a prefeito, 98 a vice, 3 mil a vereador. “Temos condições reais de eleger pelo menos 50 prefeitos, fortalecendo o PSB em Minas”, afirmou o presidente estadual da legenda, Walfrido Mares Guia.

Estiveram presentes na reunião, além de Walfrido, o prefeito Marcio Lacerda, o secretário-geral Mário Assad, o vice-presidente estadual e deputado federal, Júlio Delgado, o deputado estadual Antônio Lerin, o prefeito de Ribeirão das Neves, Walace Ventura, o prefeito de Santa Bárbara, Toninho Timbira, o secretário do PSB, Joédis Marques, e os candidatos a prefeito de Governador Valadares, Ruy Moreira, e de Funilândia, Hamilton Moura.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade