Publicidade

Estado de Minas

Mais um agricultor é assassinado no Pará


postado em 02/06/2011 16:23 / atualizado em 02/06/2011 16:48

Mais um agricultor foi morto no estado do Pará, em meio a uma onda de violência que já deixou cinco mortos no Norte do Brasil. Ainda não há informações detalhadas sobre o camponês assassinado, identificado apenas como Marcos, mas o crime foi confirmado, na tarde desta quinta-feira, pelo ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho. ''Fiquei sabendo, agora há pouco, que morreu mais um agricultor em Eldorado dos Carajás, que é uma região simbólica'', afirmou o ministro, se referindo ao massacre que deixou 19 sem-terras mortos em 1996.

Carvalho prometeu ''medidas mais duras'' por parte do governo para enfrentar a violência no campo.''Já tomamos uma série de medidas para tentar conter a violência na região, mas, ao que tudo indica, vamos ter que tomar medidas mais duras'', disse o ministro, que participa, na tarde desta quinta, de uma reunião com a presidente Dilma Rousseff, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e os governadores do Pará, Simão Jatene, de Rondônia, Confúcio Moura, e do Amazonas, Omar Aziz.

Nas últimas semanas, quatro camponeses foram mortos em decorrência dos conflitos agrários na região amazônica. O casal de extrativistas José Cláudio Silva e Maria do Espírito Santo Silva, e o agricultor Eremilton Pereira da Silva, foram mortos na cidade de Nova Ipixuna, no sudeste do Pará, a cerca de 150 quilômetros de Eldorado dos Carajás. A quarta morte foi do líder camponês Adelino Ramos, que foi assassinado em Rondônia.

Diante da onda de violência no campo, o governo federal prometeu intensificar a proteção às pessoas ameaçadas de morte na região. Na terça-feira, a Comissão Pastoral da Terra entregou à Secretaria Especial dos Direitos Humanos uma lista com o nome das pessoas que estão sob ameaça no campo.

*Com agências


Publicidade