UAI
Publicidade

Estado de Minas VACINAÇÃO

Mais de 40 crianças são imunizadas com vacina contra COVID não autorizada

As crianças que receberam como 2º dose a vacina da Janssen em Pernambuco, de forma incorreta, não precisarão realizar nova dosagem


11/04/2022 14:09

Dose errada
41 crianças imunizadas com vacina contra covid não autorizada em PE (foto: PMAI/Reprodução)

No município de Afogados da Ingazeira, no Sertão do Pajeú, 41 crianças, entre 5 a 11 anos, receberam doses incorretas de vacina contra a COVID-19, até última quarta-feira (6). Elas foram imunizadas com doses da Janssen, fabricante que não está autorizada para aplicação nessa faixa etária.

A prefeitura disse que apenas uma das crianças teve reação mais forte, com febre acima de 39 graus e precisou procurar o serviço médico. A fase mais forte de reação, que é de 48 horas, já passou. De acordo com a Secretaria Municipal da cidade, a técnica de enfermagem foi identificada.

A profissional reconheceu publicamente o erro e foi instaurado um processo administrativo disciplinar para apurar o ocorrido. Segundo orientação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), as crianças de 5 a 11 anos devem ser vacinadas com a Pfizer pediátrica e crianças de 6 a 11 anos podem realizar o esquema com vacinas da Coronavac/Butantan, que são únicas fabricantes liberadas para aplicação no público infantil.

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), por meio do Programa Estadual de Imunização de Pernambuco (PNI-PE), informou que as crianças que receberam como 2º dose a vacina da Janssen - de forma incorreta - não precisarão realizar nova dosagem e estão com o esquema vacinal completo. Já as crianças que receberam a 1º dose, deverão completar o esquema após 60 dias, com a vacina da Pfizer pediátrica.

A prefeitura de Afogados da Ingazeira explicou que consultou o Ministério da Saúde e a SES-PE, que repassou as orientações referentes à complementação para concluir o esquema vacinal dessas crianças. Também disse que ouviu infectologistas que explicaram que passada a fase das reações, de 48 horas, não haveria nenhum problema adicional para as crianças.

A SES-PE disse que após relatar a ocorrência ao Ministério da Saúde (MS) e repassar todas as informações ao Órgão Federal, que também realiza o acompanhamento dos eventos adversos relacionados à aplicação de vacinas, o PNI-PE confirmou que deu seguimento as orientações necessárias e condutas a serem realizadas pela Secretaria Municipal de Saúde, que irá monitorar o grupo de crianças por 30 dias.

O Programa Estadual de Imunização ainda ressaltou que, a vacina contra a COVID-19 em crianças de 5 a 11 anos exige um intervalo de 15 dias (antes ou depois) entre as demais do calendário de imunização do público infantil.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade