UAI
Publicidade

Estado de Minas EM NOTA

Anvisa atesta que vacinas aprovadas no Brasil são seguras para crianças

Anvisa diz que vacinas antiCOVID foram desenvolvidas com métodos científicos existentes há décadas e que o risco da doença em crianças não deve ser subestimado


24/12/2021 18:34 - atualizado 24/12/2021 18:48

Criança sendo vacinada
(foto: Andrej Ivanov/AFP)

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou nota, nesta sexta-feira (24/12), reforçando que vacinas aprovadas no Brasil são seguras e eficazes. A agência também pontuou os riscos da COVID-19, deixando claro que a doença ainda é uma ameaça para as pessoas que não foram vacinadas, "isso inclui as crianças".


Segundo a agência, crianças e adultos podem contrair a covid-19 ficando gravemente doentes, o que pode resultar em hospitalização e ainda em sequelas e danos à saúde que podem persistir por várias semanas ou até mais, após a infecção.
 

"Os problemas contínuos também podem ocorrer com as pessoas que não apresentaram sintomas quando foram infectadas com o novo coronavírus. Ou seja, mesmo as pessoas assintomáticas podem apresentar problemas futuros de saúde como resultado da infecção, inclusive as crianças assintomáticas", explica a nota divulgada pela Agência.

A Anvisa aponta que as vacinas contra a covid-19 foram desenvolvidas usando métodos científicos que já existem há décadas. "As vacinas continuam sob o monitoramento de segurança mais intensivo da história mundial em diferentes países com forte estrutura de regulação. Destaca-se que autorização da Anvisa para incluir na bula da vacina Comirnaty a indicação de uso para crianças de 5 a 11 anos não tem o condão de obrigar a vacinação das crianças."

A agência, ainda reforçou a importância de cumprir a sua atribuição legal previsto da Lei 9.782/1999 de avaliar os quesitos de qualidade, eficácia e segurança da vacina. Sendo que isso permite disponibilização da vacina a população, após uma rigorosa análise técnica que assegura seu uso dentro das condições estabelecidas em bula.

"Por oportuno, a concessão dessa autorização favorece o direito ao acesso, em especial, dos pais que tanto desejam a imunização dos seus filhos com uma vacina aprovada pela autoridade sanitária do Brasil e de diversos países", finaliza a nota.

Plataforma Gov.br

 
O Ministério da Saúde informa que, devido ao grande interesse da população na consulta pública sobre a vacinação de crianças de 5 a 11 anos, foi necessária a migração para a plataforma Gov.br, que já possui a base do cadastro dos brasileiros. As participações já registradas no sistema serão avaliadas e também serão objeto de análise pela área técnica.



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade