Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Novo ministro da Saúde pede e OMS vai ajudar o Brasil

O ministro Marcelo Queiroga se encontrou virtualmente com o diretor-geral da OMS Tedros Ghebreyesus; Brasil se afastou da organização por posições negacionistas


06/04/2021 18:02 - atualizado 06/04/2021 18:20

Segundo o diretor, a OMS está comprometida em ajudar 'de todas as maneiras possíveis'(foto: AFP/Reprodução)
Segundo o diretor, a OMS está comprometida em ajudar 'de todas as maneiras possíveis' (foto: AFP/Reprodução)
O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Ghebreyesus, confirmou, nesta terça-feira (06/04), a chegada de um acordo com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para permitir técnicos da agência ajudem o Brasil a lidar com a pandemia de COVID-19.

O encontro entre o chefe da Saúde e Tedros foi realizado no último sábado (03/04). Segundo o diretor da OMS, Queiroga afirmou que o momento que o Brasil passa está "realmente terrível". 

"Discutimos como a situação é séria no Brasil e ele (Queiroga) começou descrevendo a situação que é realmente terrível, e o que ele gostaria de fazer", disse Tedros. "Concordamos no caminho a seguir", explicou.

Segundo o diretor, a OMS está comprometida em ajudar "de todas as maneiras possíveis".

Nos últimos meses o Brasil acabou se afastando da instituição. Desde o início da pandemia, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vem adotando posicionamentos negacionistas. Entre eles, negar a gravidade do vírus, não comprar vacinas, não utilizar máscara e incentivar o uso de remédios sem eficácia comprovada. Ele também fez duras críticas a OMS. 

O ex-chanceler Ernesto Araújo também atuou para minar qualquer ação que pudesse dar maiores poderes para a OMS. 

Agora, com Queiroga no comando, o país volta a restabelecer novas alianças na Saúde.




receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade