Publicidade

Estado de Minas MATANÇA

Mortes no Brasil em 24h equivalem à soma dos outros países do top 10

Brasil registrou 3.780 óbitos por COVID nas últimas 24 horas; total somado de EUA, Itália, Polônia, Russa, Índia, França, Ucrânia, Hungria e Alemanha é de 3.742


30/03/2021 21:00 - atualizado 30/03/2021 22:05

Brasil superou a marca de 300 mil óbitos na pandemia na semana passada e estabelece recordes diários de vidas perdidas(foto: Nelson Almeida/AFP)
Brasil superou a marca de 300 mil óbitos na pandemia na semana passada e estabelece recordes diários de vidas perdidas (foto: Nelson Almeida/AFP)
 
Com 3.780 mortes nas últimas 24 horas, o dia mais trágico da pandemia do novo coronavírus no Brasil ganhou enorme repercussão em todo o mundo. Os números do país contrastam radicalmente com os de várias nações pelo mundo que também passaram por momentos dramáticos, mas conseguiram controlar, com lockdown e o avanço da vacinação, e contabilizaram menos de 1 mil óbitos nesta terça-feira (30/3).
 
Enquanto vários países já venceram a fase mais difícil da COVID-19, o Brasil caminha para novos recordes. De acordo com o professor da Faculdade de Medicina da USP, em Ribeirão Preto, Domingos Alves, os brasileiros atingirão a marca de 400 mil óbitos entre a terceira e a quarta semana de abril.

“Não é preciso fazer uma conta matemática complicada. Basta saber que a média móvel de mortes do Brasil está acima de 2,5 mil”, afirmou o professor, em entrevista exclusiva ao Estado de Minas na  semana passada. 

Outros especialistas já afirmam que o Brasil chegará ao triste número de 5 mil mortes diárias pela COVID-19.

Todos os 26 estados e o Distrito Federal já vivem falta de UTIs e medicamentos para intubação

Nesta terça-feira, uma postagem do jornalista Maurício Brum chamou a atenção nas redes sociais depois que ele comparou o número de mortes do Brasil com outras nações do planeta, que antes tinham estatísticas piores no enfrentamento à doença.

No momento da publicação, os EUA não haviam divulgado o balanço oficial. Com isso, o total de mortes do Brasil superou a dos 10 países seguintes na lista: 3.780 contra 3.742.

Somente na semana passada, depois da nomeação do novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, o governo federal criou um comitê nacional de combate à doença.

O grupo tem a participação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) e do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). 

O comitê tem a finalidade de liberar recursos com maior facilidade na aquisição de vacinas, insumos e UTIs para pacientes.

 

EUA aceleram vacinação 


País com o maior número de vidas perdidas, os Estados Unidos fecharam seu último balanço com 846 óbitos em 24 horas. Até o momento, 564 mil pessoas perderam a batalha para a COVID-19 no país norte-americano – que contabiliza mais de 23,5 milhões de infectados desde o início da pandemia, segundo dados do site Worldometers

Os Estados Unidos já chegaram a registrar quase 5 mil mortes diárias pela doença, mas vêm baixando a média móvel desde o começo de 2021.

O país acelerou o processo de vacinação, aplicando número superior a 2 milhões de doses por dia. O presidente Joe Biden disse que a meta era vacinar toda a população adulta até maio. 

A Itália, que por um tempo liderou o ranking de casos e mortes no mundo, registrou 529 óbitos nas últimas 24 horas. O país já superou a marca de 162 mil vidas perdidas durante a pandemia. 

Já Polônia, Rússia e Índia encerraram o dia com 461, 409 e 355 mortes, respectivamente.

No ranking dos 10 primeiros com mais óbitos diários também aparecem França (348), Ucrância (286), Hungria (274), Alemanha (234).


A LISTA 

1º Brasil - 3.780 
2º EUA - 846 
3º Itália - 529 
4º Polônia - 461 
5º Rússia - 409 
6º Índia - 355 
7º França - 348 
8º Ucrânia - 286 
9º Hungria - 274 
10º Alemanha - 234 

FonteWorldometers


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade