Publicidade

Estado de Minas COLAPSO

Manaus: governo federal aumentou imposto sobre cilindros antes da crise

A maioria dos cilindros vem do exterior e muitos importadores estão deixando de trazer o produto pela alta dos impostos


15/01/2021 15:04 - atualizado 15/01/2021 16:01

Cilindros de oxigênio(foto: Redes Sociais/Reprodução)
Cilindros de oxigênio (foto: Redes Sociais/Reprodução)
Alguns dias antes do colapso dos hospitais em Manaus, capital do Amazonas, o governo federal elevou o imposto de importação sobre os cilindros usados no armazenamento de gases medicinais.

A cidade vive um verdadeiro terror com pacientes em alas inteiras de hospitais morrendo por falta de oxigênio. As informações foram divulgadas com exclusividade pela BandNews FM.
 
Os cilindros estavam isentos de tributação desde o início do ano passado, devido a um pacote lançado pelo ministério da Economia para facilitar o combate à pandemia da COVID-19. Mas, no início de 2021, o produto voltou a ser tributado.

A maioria dos cilindros vem do exterior e muitos importadores estão deixando de trazer o produto pela alta dos impostos.
  
Segundo fontes da matéria da BandNews FM, o preço já estava alto por causa do dólar. Agora, o valor de um cilindro grande, que custava cerca de R$ 1.000,00, passou para algo em torno de R$ 1.600,00.
 
  
 
 

O caos retorna as ruas de Manaus 

O Amazonas, que já tinha vivido dias de caos no início da pandemia, voltou a entrar em uma situação caótica com a disparada de casos de COVID-19, falta de abastecimento e poucos leitos. 

Entre 1º e 11 de janeiro, foram registradas 1.979 novas internações pelo novo coronavírus, contra 2.128 em abril de 2020 – pior mês desde a chegada da pandemia.
 
Até quinta-feira (14/01), 427 pacientes das redes pública e privada de saúde aguardavam um leito para internação, a maioria em Manaus, que concentra a maior parte das hospitalizações.

O último boletim epidemiológico, divulgado pelo governo estadual, aponta que a ocupação na UTI para COVID-19 é de 93,9% na rede pública da capital amazonense e de 86,73% na rede privada da cidade, o que representa uma média geral de 90,4%. 
 
Os enterros de vítimas da COVID-19 também batem recordes: nos primeiros 10 dias de 2021 foram registrados 379, mais do que os 348 de maio. 

 
Lockdown 

Na tarde de quinta-feira, o governador Wilson Lima (PSC) anunciou um decreto que proíbe a circulação de pessoas em Manaus entre 19h e 6h. Todas as atividades, exceto serviços essenciais, também estão proibidas.
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade