Publicidade

Estado de Minas SEM OXIGÊNIO

Manaus: governo pede ajuda dos estados para transferir 60 bebês

Outros 235 pacientes vão ser transferidos de Manaus para outros estados; São Paulo e Maranhão se ofereceram para receber os recém-nascidos


15/01/2021 14:37 - atualizado 15/01/2021 18:34

Amazonas pede ajuda de outros estados para transferir bebes(foto: PixaBay/Reprodução)
Amazonas pede ajuda de outros estados para transferir bebes (foto: PixaBay/Reprodução)
O governo do Amazonas avisou aos outros estados nesta sexta-feira (15/01) que precisa transferir pelo menos 60 bebês prematuros. Eles estão internados na cidade de Manaus, que sofre uma crise por falta de oxigênio para pacientes com COVID-19. Além dos recém-nascidos, outros 235 pacientes vão ser  transferidos de Manaus para outros estados.
  
O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), se ofereceu para acolher os bebês. 

"São Paulo atenderá integralmente estes 60 bebês. Já pedi para falar com o secretário de saúde do estado do Amazonas. Acolheremos todos que puderem ser transportados aqui para São Paulo. É o fim do mundo isso, para quem é pai ou mãe, não ter oxigênio para bebê. É uma irresponsabilidade do governo Bolsonaro", disse o governador.
 
 
 
O estado do Maranhão também divulgou que vai receber cinco recém-nascidos.

Os outros estados ainda verificam quantos prematuros conseguiram receber. 

 
O caos retorna as ruas de Manaus 

O Amazonas, que já tinha vivido dias de caos no início da pandemia, voltou a entrar em uma situação caótica com a disparada de casos de COVID-19, falta de abastecimento e poucos leitos. 

Entre 1º e 11 de janeiro, foram registradas 1.979 novas internações pelo novo coronavírus, contra 2.128 em abril de 2020 – pior mês desde a chegada da pandemia.
Até quinta-feira (14/01), 427 pacientes das redes pública e privada de saúde aguardavam um leito para internação, a maioria em Manaus, que concentra a maior parte das hospitalizações.

O último boletim epidemiológico, divulgado pelo governo estadual, aponta que a ocupação na UTI para COVID-19 é de 93,9% na rede pública da capital amazonense e de 86,73% na rede privada da cidade, o que representa uma média geral de 90,4%. 
 
Os enterros de vítimas da COVID-19 também batem recordes: nos primeiros 10 dias de 2021 foram registrados 379, mais do que os 348 de maio. 

 
Lockdown 

Na tarde de quinta-feira, o governador Wilson Lima (PSC) anunciou um decreto que proíbe a circulação de pessoas em Manaus entre 19h e 6h. Todas as atividades, exceto serviços essenciais, também estão proibidas.
 
*Estagiária sob supervisão do subeditor João Renato Faria



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade