Publicidade

Estado de Minas

Homem tenta 'salvar' Jesus durante encenação da Paixão de Cristo; veja vídeo

O caso inusitado ocorreu no interior do Rio Grande do Sul e populares chamaram a polícia para apaziguar a briga que se formou


postado em 31/03/2018 12:28 / atualizado em 31/03/2018 14:37


A Paixão de Jesus Cristo quase teve um final diferente do que conhecemos na Bíblia na noite desta sexta-feira (30) na encenação em Nova Hartz, no Rio Grande do Sul. A via sacra seguiu o roteiro até a crucificação e tudo foi “consumado”, como anunciado nas escrituras, até que veio o susto.

No momento em que o soldado romano trespassava a lança no coração de Jesus para se certificar de sua morte, um homem surgiu da plateia e agrediu o ator com um capacete para tentar salvar o filho de Deus. Foi uma briga generalizada e o vídeo ganhou as redes sociais.

Segundo uma rádio gaúcha, testemunhas disseram que o homem teria chamado os atores de demônios e disse ter ido salvar Jesus. Mais de mil pessoas assistiam a encenação.

Segundo a Brigada Militar de Nova Hartz, o homem que tentou “salvar” Jesus da Cruz é um indivíduo conhecido por ter problemas mentais e ser usuário de drogas. Populares acionaram a polícia mas quando a viatura chegou não havia mais ninguém que participou da briga. Ninguém foi preso.

O episódio dividiu opiniões. Enquanto uns reclamaram da "intervenção", outros acharam graça. "Achei o espetáculo maravilhoso, mas infelizmente existem pessoas que só tem prazer em destruir a realização dos outros. Mas nem Cristo agradou a todo mundo, não é mesmo", afirmou uma espectadora ao comentar o vídeo.

A tradicional encenação ocorreu na Praça do Trabalhador, em Nova Hartz, na sexta-feira da Paixão. “Foi cancelada a Páscoa, salvaram Jesus em Nova Hartz”, disse o internauta que publicou o vídeo no Facebook. “Finalmente, depois de 2018 anos, chegou alguém de coragem para tentar salvar Jesus”, brincou outra “fiel” pelo Twitter. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade