UAI
Publicidade

Estado de Minas CHECAMOS

O vírus SARS-CoV-2 foi, sim, isolado na Espanha, embora não no Ministério

O isolamento de um vírus envolve extraí-lo de um paciente infectado e propagá-lo em cultura de células para estudo


23/10/2021 10:55 - atualizado 23/10/2021 10:55


 

Imagem de rede social com informação falsa
Captura de tela de uma postagem no Facebook, feita em 22 de outubro de 2021 ( . / ) (foto: reprodução)
A afirmação de que o Ministério da Saúde espanhol não possui o vírus SARS-CoV-2 isolado foi compartilhada mais de 100 vezes nas redes sociais desde, pelo menos, 30 de setembro de 2021, sem esclarecer que o vírus está, sim, isolado e sequenciado na Espanha, assim como em outros países. A confusão resultou de uma resposta pública do Ministério a um pedido de informações de uma associação espanhola.


“Ministério da Saúde da Espanha confirmou que NUNCA isolou o vírus SARS-CoV-2 (ninguém fez!)” , é a manchete de um artigo publicado na internet. “O Ministério da Saúde espanhol admite que: - ‘Não tem o vírus co vid isolado nem culturas do mesmo’” , dizem publicações compartilhadas no Facebook ( 1 , 2 ) e no Twitter .

A mensagem também circulou em espanhol , inglês , alemão e francês .

As postagens anexam ou mostram capturas de tela de uma resposta do Ministério da Saúde espanhol a um pedido de informações de uma associação . A mensagem da pasta é assinada pela diretora-geral de Saúde Pública, Pilar Aparicio . Ao ler o QR code que aparece no canto inferior esquerdo de cada página, a AFP pôde verificar que o documento está disponível para ser baixado no site da administração do Governo espanhol.

O Ministério da Saúde confirmou à AFP a autenticidade do texto assinado por Aparicio e explicou que se tratava de uma resposta a uma solicitação encaminhada à unidade de Transparência e protegida pela Lei da Transparência, Acesso à Informação Pública e Boa Governança.

Os usuários destacam em suas publicações um trecho dessa frase da resposta: “O Ministério da Saúde não possui cultura do SARS-CoV-2 para teste e não possui registro de laboratórios com capacidade de cultura e isolamento para teste” . Por outro lado, no vídeo viral um biólogo afirma que a sequência do vírus "não pôde ser cultivada" e que, consequentemente, em pacientes com coronavírus positivo na Espanha "a doença não foi confirmada com cultura viral".

Isolado e sequenciado

O isolamento de um vírus envolve extraí-lo de um paciente infectado e propagá-lo em cultura de células para estudo. Já o sequenciamento genético é um processo que permite decifrar o código genético do vírus.

O serviço de comunicação do Instituto de Saúde Carlos III (ISCIII), dependente dos Ministérios espanhóis da Saúde e da Ciência , garantiu à AFP:

“Claro que o vírus foi sequenciado e isolado; numerosos centros de pesquisa já o fizeram na Espanha, incluindo o Centro Nacional de Microbiologia do ISCIII, organismo dependente dos ministérios da Ciência e da Saúde”

Consultado pela AFP, o microbiologista e virologista José Antonio López Guerrero afirmou que o vírus havia sido isolado “no início, quando foi caracterizado o primeiro surto”.

O primeiro artigo científico do mundo sobre o SARS-CoV-2, de janeiro de 2020, detalha como o vírus foi isolado de pacientes em Wuhan, na China, para ser estudado em culturas de células.

Neste relatório científico de 2020, é feita uma referência ao fato de o vírus já ter sido isolado e sequenciado na Espanha. A título de exemplo, ele foi isolado por uma equipe de investigadores valencianos , por outra da Universidade de Saragoça e da região de La Rioja .

A ideia de que o SARS-CoV-2 não foi isolado ou sequenciado e que, portanto, pode-se deduzir que a pandemia covid-19 é uma farsa, circula, pelo menos, desde o início de 2021. A AFP Factual já a verificou em outra ocasião.

"O isolamento e a purificação do vírus é um procedimento simples e muito eficiente" , explicou à AFP Juan Sabatté, médico, doutor em microbiologia e pesquisador do Conselho Nacional de Pesquisas Científicas e Técnicas ( CONICET ) da Argentina, em julho de 2021. "A única limitação é ter um laboratório de biossegurança capaz de trabalhar com o risco trazido pelo vírus isolado (laboratório BSL3), pois quando replicado em cultura de células pode atingir concentrações milhares de vezes superiores às encontradas nos fluidos do trato respiratório de um paciente infectado” , acrescentou.

"Diversos laboratórios no mundo isolaram e sequenciaram o genoma do vírus SARS-CoV-2 e já existem milhares de publicações científicas analisando diferentes características do vírus" , disse Sabatté à AFP. Por exemplo, outras equipes de pesquisadores isolaram o vírus no Canadá e nos Estados Unidos .

O cientista espanhol José Jimenez, do Departamento de Doenças Infecciosas do King's College de Londres, se perguntou nessa thread no Twitter: "Onde o Ministério da Saúde vai guardar o vírus?" , e disse que está isolado em laboratórios de biossegurança nível 3, conforme afirma Sabatté. Jiménez destacou que apenas no Reino Unido, onde trabalha, o genoma completo do vírus foi sequenciado mais de um milhão de vezes, ao contrário do que afirmam os usuários que questionam a pandemia.

¿Dónde va a guardar el Ministerio de Sanidad el virus? El virus aislado está en los laboratorios de bioseguridad de nivel 3 que trabajan con el virus.

Aquí vemos células humanas del aparato respiratorio infectadas con SARS-CoV-2 (núcleos en azul y la proteína spike en verde). pic.twitter.com/4rgi6VPj16
— Jose Jimenez (@JoseMJG) October 1, 2021

Em relação aos testes de covid e ao cultivo do vírus, López Guerrero, professor da Universidade Autônoma de Madrid, respondeu à equipe de checagem da AFP: “Claro que há evidências do vírus nos pacientes, embora não seja necessário, pois não é necessário com nenhuma doença infecciosa, ter que isolá-lo em cada caso. Os vírus influenza, picornavírus, caxumba e muitos outros vírus, por exemplo, são isolados de todos os casos diagnosticados? Não, claro que não” .

“Em todos os casos verificados de covid, constatou-se a presença do vírus, em muitos até foi sequenciado e, claro, foi isolado dos pacientes %u23BC logicamente, não de todos %u23BC a ponto de ter sido visto por eletromicroscopia, imunofluorescência e muitas outras técnicas de verificação e diagnóstico” , explicou López Guerrero.

Por que isolar um vírus?

A médica em imunologia María Moreno , do Departamento de Desenvolvimento Biotecnológico da Universidade da República do Uruguai, disse à AFP em julho de 2021: “Um vírus não cresce e se replica como uma bactéria, nos meios comuns” . “É preciso ter uma linha celular, na qual o vírus possa entrar e se replicar, para obter grandes quantidades do vírus. Uma vez que o vírus tenha sido isolado, por exemplo, vacinas de vírus inativados podem ser feitas. Ou testes de neutralização com o próprio vírus, para ver se o soro ou os anticorpos monoclonais inibem sua entrada nas células ” .

“Pode-se ter a informação do vírus sem isolá-lo” , acrescentou Moreno, que enfatizou que é falacioso supor que sem um vírus isolado em laboratório, por exemplo, não seja possível fazer um teste para detectá-lo, como colocaram em dúvida algumas das postagens virais. “Para identificar o vírus não é necessário isolá-lo; Você só precisa de uma amostra inativada da qual se pode amplificar parte do seu material genético ou, em alguns casos, até procurar uma proteína específica do próprio vírus, como fazem os testes de detecção rápida ” , explica.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade