UAI
Publicidade

Estado de Minas EUROPA

Rússia diz que Ucrânia recusou acordo; Zelensky nega reunião

Segundo porta-voz do Kremlin, russos chegaram a dar ordem para suspender o avanço de uma das tropas ontem, antes do avanço generalizado deste sábado


26/02/2022 17:50 - atualizado 26/02/2022 17:59

Membros do serviço ucraniano procuram e coletam projéteis não detonados após um confronto com um grupo russo na capital ucraniana de Kiev
Membros do serviço ucraniano procuram e coletam projéteis não detonados após um confronto com um grupo russo na capital ucraniana de Kiev (foto: Sergei Supinsky/ AFP)
Além do conflito militar que tem massacrado civis nos últimos dias, Rússia e Ucrânia enfrentam também uma guerra de versões — segundo agências de notícias internacionais. Neste sábado (26/2), o porta-voz do Kremilin, Dmitry Peskov, disse ao canal estatal do país, o RT, que Vladimir Putin determinou uma paralisação das tropas. Isso na sexta-feira (25/2) enquanto, segundo o porta-voz, os líderes buscavam um acordo.

Leia também: Invasão russa à Ucrânia chega ao 3º dia sem definições; Kiev é bombardeada.

Segundo Peskov, Kiev recusou “categoricamente” os termos de Moscou e, por isso, a ofensiva continuou neste sábado. “Foi uma tentativa de nos forçar à cessação”, disse sem dar mais detalhes. Em seguida anunciou que o exército russo partiu para um plano de ataque “em todas as direções” do território ucraniano, “conforme o plano inicial”.


Negativa

Na outra ponta do confronto, o presidente da Ucrânia Volodymyr Zelensky nega que qualquer tratativa tenha ocorrido. Em entrevista ao jornal russo RBC, Mikhail Podolyak, representante do governo ucraniano, disse que não houve rejeição. “Sem dúvida, a Ucrânia não se recusou a negociar”, disse ele, sublinhando que as negociações ainda não ocorreram.

Ainda assim, o tom do discurso foi firme: “A Ucrânia e o presidente Zelensky rejeitam categoricamente quaisquer condições inaceitáveis ou de ultimato do lado russo”, declarou Podolyak. Também na sexta-feira, Volodymyr Zelensky afirmou que estava pronto para conversar com o Kremilin enquanto Peskov afirmou que as negociações seriam realizadas em Minsk, capital da Bielorrússia.

Há informações de que a Ucrânia tenha pedido para transferir a reunião para Varsóvia, na Polônia, e que depois tenha parado de responder.


 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade