UAI
Publicidade

Estado de Minas MAIS DISTANCIAMENTO

Prefeitura de Oliveira proíbe eventos até março para conter avanço da COVID

Outras medidas restritivas foram impostas pelo Comitê de Enfrentamento à doença, após um aumento de 7.533% no registro de casos


26/01/2022 19:58 - atualizado 26/01/2022 19:58

prédio
A Secretaria Municipal de Saúde também irá intensificar a fiscalização em Oliveira (foto: Divulgação/Prefeitura de Oliveira)
Eventos estão suspensos em Oliveira, no Centro-Oeste de Minas, até o dia 07 de março. A decisão tomada pelo Comitê de Enfrentamento à COVID-19 é para tentar conter o avanço da doença na cidade, que registrou o impressionante aumento casos de 7.533% entre dezembro e janeiro.

A proibição é apenas uma das novas medidas restritivas estabelecidas nesta terça-feira (25/1). Bares e restaurantes, embora possam funcionar, estão proibidos de realizar shows. As mesas também terão que ter distanciamento de 1,5 metro e cada uma poderá ser ocupada por até seis pessoas.

O município deverá ampliar a fiscalização com exigência do uso de máscara e a disponibilização de álcool em gel nos comércios.

Aumento de casos

A cidade de pouco mais de 41,9 mil habitantes teve aumento de 7.533% de casos confirmados. Em dezembro, foram seis confirmações de COVID-19. Já em janeiro, o número saltou para 458. Sem registrar mortes em decorrência por dois meses, em janeiro houve duas.

“Desde os primeiros dias de janeiro, começamos a registrar muitos atendimentos nas unidades de saúde de pessoas com síndromes gripais, gerando a preocupação pelo aumento de casos confirmados e transmissibilidade maior entre os munícipes”, afirma o secretário de Saúde, Lucas Lasmar.

A ocupação de leitos nesta quarta-feira (26/1) estava em 65% na enfermaria e 60% na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). No mês passado, a taxa de ocupação dos leitos COVID-19 estava zerada, ou seja, sem pacientes internados.

Além das restrições, o município ampliou os atendimentos médicos. “Colocamos um PSF noturno com quatro médicos atendendo a população com síndrome gripal. Intensificamos também a realização de testes”, cita Lasmar.

O aumento expressivo, segundo o secretário, é devido, principalmente, ao ritmo de contágio da variante Ômicron. “Soma-se a parcial flexibilização das medidas no fim do ano de 2021”, completa. As festas de fim de ano, são apontadas com um dos fatores por engrossar os indicadores. Já são 5.830 casos do novo coronavírus desde o início da pandemia e 78 mortes.

Apoio

Para Lasmar a palavra de ordem no momento é “conscientização” sobre as medidas de prevenção. “Como o uso de máscara mesmo em locais abertos, higienização das mãos com frequência, o distanciamento social e o mais importante e a grande responsável pelo baixo número de casos mais graves, a vacinação”, cita. Ele reforça a necessidade da dose reforço.

“Vacinem-se e mantenham rígidas as medidas de proteção e assim venceremos essa nova onda de contaminação pelo coronavírus”, orienta.

Desde o início da campanha, 94% das pessoas com 12 anos ou mais receberam as duas doses da vacina, segundo o vacinômetro da Secretaria de Estado de Saúde (SES). Outros 31,21% já foram vacinados com a dose reforço.

*Amanda Quintiliano especial para o EM


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade