UAI
Publicidade

Estado de Minas DIA DE HOMENAGENS

Missa relembra vítimas três anos após rompimento de barragem em Brumadinho

Em 25 de janeiro de 2019, barragem da Vale se rompeu e matou 272 pessoas no município da Grande BH


25/01/2022 11:17 - atualizado 25/01/2022 11:44

Missa em Brumadinho
Dom Walmor celebrou missa em homenagem às vítimas da tragédia, em Brumadinho (foto: Juarez Rodrigues/EM/DA Press)

A cidade de Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, jamais vai esquecer o rompimento da barragem de rejeitos da Mina Córrego do Feijão, da mineradora Vale. Há exatos três anos, 272 vidas foram levadas pela avalanche de lama e, nesta terça-feira (25/1), é dia de relembrar o prejuízo causado na cidade, homenagear as vítimas e unir forças para localizar as seis joias que continuam desaparecidas.



O dia teve início com uma missa celebrada por dom Walmor Oliveira de Azevedo, arcebispo de Belo Horizonte e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), no Santuário Arquidiocesano Nossa Senhora do Rosário.

Dom Vicente Ferreira que acompanhou o arcebispo, ressaltou a força da fé, que anda lado a lado da luta por justiça. “A Romaria sempre se orienta pela busca da memória dessa tragédia continuada de todas as vítimas dessa tragédia-crime da mineradora Vale, aqui em Brumadinho. Honrar o nome daqueles que foram vitimados e lembrar que foi um crime que nunca deveria ter acontecido e nunca mais pode acontecer. Não há reparação sem justiça. Quem está sendo responsabilizado? Outro dia, escutei uma senhora dizendo: 'A gente perdoa, mas quem está pedindo o perdão?'. Alguém disse: 'Eu sou o responsável?' Já são três anos! Nós temos que parar com esse negócio de minério e dependência, isso está fazendo um buraco na nossa natureza e no coração do nosso povo”, disse. 

Cruzes com nomes de pessoas
Cruzes com os respectivos nomes foram colocadas em homenagem às vítimas (foto: Juarez Rodrigues/EM/DA Press)

“A Romaria é para rezar e pedir força para Deus, mas é também pra denunciar e propor caminhos alternativos”, acrescentou. A cerimônia foi marcada pela dor dos familiares das vítimas.

Letreiro de Brumadinho
Letreiro de Brumadinho decorado com fotos em homenagem às vítimas (foto: Juarez Rodrigues/EM/DA Press)


Com o fim da missa, as pessoas presentes se uniram em uma caminhada até o letreiro de Brumadinho, onde haverá um ato em homenagem às 272 vítimas. O local, está tomado pela imagem de cada uma das joias levadas na tragédia. Seis delas ainda estão desaparecidas:

  • Cristiane Antunes Campos
  • Luis Felipe Alves
  • Maria de Lurdes da Costa Bueno
  • Nathalia de Oliveira Porto Araujo
  • Olimpio Gomes Pinto
  • Tiago Tadeu Mendes da Silva


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade