UAI
Publicidade

Estado de Minas GREVE EM BH

TransOeste: 'Salário atrasa todo mês há mais de um ano', dizem motoristas

Funcionários da empresa cruzaram os braços na manhã desta segunda-feira (24/1); mais de 20 linhas de ônibus estão fora de circulação


24/01/2022 12:05 - atualizado 24/01/2022 12:23

Motoristas em greve da TransOeste enfileirados em frente à garagem da empresa
Motoristas da TransOeste dizem que, este mês, tiveram o salário divido em duas parcelas, mas só receberam uma (foto: Jair Amaral/EM/D.A.Press)
Parados em frente à garagem da TransOeste desde as primeiras desta segunda-feira (24/1), motoristas e mecânicos da empresa dizem que só voltarão ao trabalho após a regularização de seus salários e demais benefícios trabalhistas. 


Segundo os trabalhadores, este mês, a concessionária propôs o pagamento do salário em duas parcelas, mas só quitou uma. Atrasos nos ordenados e outros benefícios seriam frequentes desde o início da pandemia. 

"O salário atrasa mais de um mês há mais de um ano. As férias também não são pagas. Tem motorista que entrou de férias, já está voltando e ainda não recebeu nada, nem salário, nem férias. A situação está insustentável", relata um condutor, que preferiu não se identificar. 

Estação Diamante lotada de passageiros
Sem ônibus, população enfrenta transtornos para chegar ao trabalho na manhã desta segunda-feira (24/1) (foto: Jair Amaral/EM/D.A.Press)
'Enquanto isso, as nossas contas não esperam. Chegamos ao nosso limite", comentou outro funcionário, também sob condição de anonimato. 

O movimento é apoiado pelo Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários de Belo Horizonte (STTR-BH). O presidente da entidade diz que os grevistas chegaram a ser abordados por funcionários do RH da TransOeste, que propuseram a quitaçao dos salários de apenas alguns trabalhadores. 

"Uma minoria até chegou a receber, mas o movimento está mantido até que haja a regularização desta situação absurda para todos", afirma Fábio Whashington Caldeira, membro da diretoria do STTR-BH. 

Sem resposta


Procurada pelo Estado de Minas, a administração da TransOeste não se manifestou. No dia 13 de janeiro, ocasião em que 88 ônibus da viação também deixaram de circular, a empresa alegou dificuldades financeiras causadas pelo aumento do preço do óleo diesel e pela redução de passageiros. 

O EM também procurou o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (SetraBH). A instituição disse, por meio de nota, que está em contato com o consórcio Dez para tentar minimizar os impactos da paralisação.

Já a BHTrans não informou quais providências está tomando para contornar a situação, exceto que mantém agentes nas estações de ônibus para orientar os passageiros sobre opções alternativas de transporte. 

Veja as linhas de ônibus fora de circulação em BH

  • 32
  • 35
  • 308
  • 315
  • 318 
  • 325
  • 329
  • 330 
  • 332
  • 335
  • 337
  • 340
  • 3350
  • 303
  • 304
  • 305
  • 309
  • 310
  • 311
  • 313
  • 314
  • 319
  • 336


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade