UAI
Publicidade

Estado de Minas DESGASTE

Diretor da UPA em Passos pede exoneração e agrava crise na saúde

Desentendimento entre diretor e secretária de Saúde ocorreu após pedido de ajuda, já que médicos da unidade estão todos com COVID


14/01/2022 18:41 - atualizado 14/01/2022 20:23

 
UPA PASSOS
Diretor clínico da UPA em Passos pediu exoneração do cargo, que será preenchido na semana que vem apenas (foto: Acervo EM)
O diretor da Unidade de Pronto Atendimento de Passos, no Sul de Minas, o médico Flávio Ferreira, pediu exoneração de seu cargo nesta quinta-feira (13/1), e aprofundou a crise na saúde que o município encara. O motivo foi incompatibilidade com a secretária de Saúde, Vanessa Cristina Silva Freire. A decisão veio após ele alertar a secretária que não teria médico no plantão noturno nesta sexta-feira (14/1) porque os profissonais da  testaram positivo para COVID. Ao solicitar, em critério de emergência, a realização de uma força-tarefa, a secretária respondeu afirmando que a responsabilidade da escala era dele.

“Esse tom de conversa me pegou de surpresa, porque era a minha última tentativa de contato para tentarmos sanar a situação. Eu já havia pedido há algum tempo para aumentar os horários dos Postos de Saúde da Famíia (PSF), aumentar o atendimento no Centro COVID, para que a UPA exercesse apenas o papel que lhe cabe, urgência e emergência.  Os médicos da UPA não suportam mais o encaminhamento descabido de pacientes testados positivos nos PSFs por falta de médicos ou por ter algum profissional médico acima de 60 anos que não atende pacientes com COVID mais. Solicitei a todos médicos aptos (com contrato vigente) a darem plantão, mas todos teriam seus compromissos e não poderiam ajudar. Como não se produz médico do dia para a noite, e por falta de médicos pelo afastamentos de profissionais pela própria patologia, e não contando com o apoio da secretária, solicitei minha exoneração. Impossível trabalhar desta maneira", disse Flávio Ferreira, que estava no posto desde fevereiro de 2021.

Assim que foi veiculada nas redes sociais a saída do médico do posto que ocupa, nas redes sociais pacientes clamavam pela permanência dele no cargo, já que ele contornou filas com mais de 15 pessoas esperando por uma vaga de internação e conseguiu, em alguns dias, zerar a fila de espera.

Outro lado

A secretária de Saúde, Vanessa Freire, disse que todas as reivindicações da unidade foram atendidas, pois a saúde é complexa e tem áreas distintas. “Sempre fui solícita, fizemos credenciamento, reforma no telhado, vigilantes na portaria, compra de medicamentos necessários para atendimento, quantidade de médicos e equipe de enfermagem”, disse.

“Já estava fazendo todas as alterações e modificações para aumentar o atendimento para população. Estamos num momento difícil, e ninguém imaginaria que os casos iriam aumentar nesse proporção e rapidez”, disse a secretária.

Vanessa disse que fez chamamento de médicos para atender em quatro unidades estratégicas com horário noturno. Ela também afirmou que neste sábado (15/1) e domingo (16/1), o Centro COVID-19  no Bairro Coimbras vai funcionar, com 100 senhas para atendimento exclusivamente COVID-19.

Por meio de nota, o prefeito Diego Oliveira lamentou o pedido de exoneração e agradeceu o seu trabalho frente à UPA. Ele ainda minimizou a crise causada pela COVID no município. “No Brasil inteiro o problema existe, então não é só o caso de Passos. Eu aceitei o pedido de exoneração do doutor Flávio. Na reunião de hoje não chegamos a um consenso em torno de um nome para substituí-lo e faremos isso na semana que vem”, disse ao fim de uma reunião técnica à tarde. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade