UAI
Publicidade

Estado de Minas IMPASSE NO TRANSPORTE

Greve do metrô se arrasta e deve seguir até domingo

Apesar de a Justiça ter determinado cumprimento de escala mínima, 19 estações ficaram fechadas ontem. Categoria decide hoje se cumprirá ordem.


24/12/2021 04:00 - atualizado 23/12/2021 22:17

Estação São Gabriel
Estações São Gabriel e Eldorado estão entre as que ficaram fechadas: sindicato alega que não foi notificado a tempo da decisão judicial (foto: Edésio Rodrigues/EM/D.A Press)

O recesso natalino promete transtornos aos usuários do transporte público em Belo Horizonte e região metropolitana. Os metroviários estão em greve desde a 0h de ontem e  a previsão é de que a categoria permaneça de braços cruzados ao menos até domingo (26/12). No total, 19 estações da capital e de Contagem amanheceram fechadas ontem, a despeito de liminar obtida na terça-feira pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) que determina uma escala mínima de funcionamento da operação metroviária com 30% dos trabalhadores e oferta de trens integral em horários de pico em dois turnos.

O movimento protesta contra a Resolução 206 do Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos, publicada em 13 de dezembro. A norma veda a transferência de empregados lotados na Superintendência Regional Belo Horizonte (STU-BH)  a outras unidades da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), como parte do processo de privatização da estrutura.

A paralisação, da qual participam cerca de 1,6 mil funcionários, foi definida no último domingo, em assembleia geral na Praça da Estação. O diretor do Sindicato dos Metroviários de Belo Horizonte (Sindimetro), Romeu José Machado Neto, diz que apenas ao fim da manhã de ontem o sindicato foi notificado da decisão de manutenção da operação mínima. O desacato acarreta multa diária de R$ 30 mil. Apesar disso, o dirigente não garante que a decisão judicial será respeitada. O Sindimetro deixou a decisão para a assembleia da categoria, marcada para as 10h de hoje, na Praça da Estação, Centro da capital.

A determinação da liminar é que os trens funcionem normalmente hoje e no dia 31, vésperas de Natal e de ano-novo, das 5h30 às 10h e das 16h30 às 23h. Nos outros dias, das 5h30 às 10h e das 16h30 às 20h. A entidade diz que pretende recorrer à Justiça para evitar o pagamento da multa, mas informou que, caso perca a batalha nos tribunais, tem recursos para bancar até três dias de descumprimento da determinação legal. Ou seja: o equivalente a R$ 120 mil.

A CBTU recebeu o posicionamento como uma afronta. Por meio de nota, a companhia afirmou que "a alegação do Sindimetro de que não foi notificado nada mais é que uma manobra feita para se esquivar do oficial de Justiça no cumprimento de seu dever. Inclusive, pedindo antecipadamente liberação de seus diretores sindicais para que os mesmos não fossem encontrados nos seus postos de trabalho".

REFORÇO NOS ÔNIBUS 

Para tentar minimizar os efeitos da greve, a Prefeitura de Belo Horizonte determinou às concessionárias de ônibus coletivos de BH que ofereçam mais viagens. Cerca de 100 mil usuários dependem, diariamente, do metrô na Grande BH. O reforço nas operações será mantido enquanto durar a paralisação.

A PRIVATIZAÇÃO 

Em setembro, o presidente Jair Bolsonaro (PL) esteve em Belo Horizonte para sancionar o projeto de privatização do metrô. A venda será acompanhada por aporte de R$ 2,8 bilhões para melhorias na estrutura. O governo estadual vai disponibilizar R$ 400 milhões. O edital para concretizar a entrega dos trens à iniciativa privada deverá ser publicado em março de 2022. Atualmente, o metrô liga o Eldorado, em Contagem, a Venda Nova, em BH. A ideia é implantar um segundo itinerário, do Barreiro ao Calafate, na Região Oeste.

E mais...

Feira Hippie com horário estendido

A Feira Hippie, na Avenida Afonso Pena, poderá funcionar até as 15h no domingo. Segundo a Prefeitura de Belo Horizonte, o horário estendido já tinha sido adotado nos fins de semana anteriores ao Natal, como forma de “privilegiar a economia popular às vésperas do Natal”. A decisão foi tomada com base nos indicadores epidemiológicos da capital, que estão estáveis, e na cobertura vacinal, acima dos 80%, da população com as duas doses. Máscaras continuam a ser exigidas. Em 2020, o leiaute das barracas foi reelaborado para permitir maior distanciamento. A Feira Hippie é dividida em 16 setores, incluindo três áreas de alimentação, com mais de 2 mil expositores e cerca de 10 mil trabalhadores diretos e indiretos. Ela recebe, em média, 60 mil visitantes a cada domingo.




receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade