UAI
Publicidade

Estado de Minas COMPASSO DE ESPERA

Greve de ônibus em BH segue suspensa, mas pode voltar na quinta (2/12)

Sindicato dos Rodoviários disse que empresários se comprometeram a apresentar proposta de reajuste; paralisação pode acontecer se o aumento não agradar


26/11/2021 19:31 - atualizado 26/11/2021 20:36

Imagem de ponto de ônibus lotado em BH
Greve de ônibus em BH foi feita no início desta semana e durou dois dias (foto: Túlio Santos/EM/D.A Press)
Uma reunião entre o Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Belo Horizonte (STTRBH) e o Sindicato das Empresas de Transporte Público de Belo Horizonte (Setra-BH), que terminou no início da noite desta sexta-feira (26/11), decidiu que a greve de ônibus na capital mineira segue suspensa.

No entanto, a paralisação pode acontecer na próxima semana se a proposta de reajuste dos salários não atender os anseios da categoria.

Por telefone, o presidente do STTRBH, Paulo César da Silva, disse que o Setra-BH se comprometeu a mandar uma proposta de reajuste salarial até a próxima terça-feira (30/11). A oferta dos empresários será analisada em uma assembleia realizada pelos motoristas na quarta-feira (1º/12). Caso a maioria não aceite o aumento proposto, a paralisação dos serviços pode acontecer já no dia seguinte à reunião.

"No final da tarde o Setra nos chamou para uma reunião extraordinária e sinalizou que apresentará uma proposta com o índice de um possível reajuste entre segunda e terça-feira. Na quarta vamos levar em assembleia, ainda a definir os horários, para a categoria apreciar a proposta. Se não atender os anseios da classe trabalhadora, cruzaremos os braços na quinta-feira novamente", disse Paulo César.

Histórico


A greve, que foi iniciada na última segunda (25/11), foi suspensa na tarde do dia seguinte após promessa do Setra-BH de analisar os pedidos feitos pelo STTRBH e enviar uma contraproposta até a data de hoje, o que acabou ficando para a próxima semana, com o compromisso de que um possível reajuste salarial seja oferecido.

Os trabalhadores reivindicam reajuste salarial de 9% (INPC mais as perdas dos últimos anos), tíquete-alimentação de R$ 800, o pagamento do tíquete em caso de afastamento médico, remoção do banco de horas e o abono salarial de 2019 e 2020. A retirada da limitação do passe livre, manutenção do passe livre para o afastado e melhorias no plano de saúde também fazem parte da negociação.

Em nota, o Setra-BH disse que "as partes acordaram em prorrogar a data-base da categoria até o dia 06/12/2021 para que, na próxima semana, possam finalizar as negociações das cláusulas econômicas".


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade