UAI
Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Prefeitura de BH vai monitorar variante 'ômicron' previamente

Pessoas que chegam de voos internacionais também são acompanhadas pela Secretaria Municipal de Saúde, com apoio da Funed e da UFMG


26/11/2021 18:55 - atualizado 26/11/2021 19:23

pesquisa
O sequenciamento genético das amostras é realizado pela UFMG e Fundação Ezequiel Dias (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
A Prefeitura de Belo Horizonte fará o monitoramento prévio da nova variante da COVID-19, em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a Fundação Ezequiel Dias (Funed). O anúncio foi feito na tarde desta sexta-feira (26/11).
 
 
As pessoas que chegam a BH em voos internacionais são monitoradas por equipes da Secretaria Municipal de Saúde e com a nova mutação não será diferente.

Segundo a PBH, há um 'monitoramento continuado para detectar precocemente novas variantes, além de outras situações relacionadas à transmissão da COVID-19 na cidade.
 
O sequenciamento genético é realizado pela UFMG e Fundação Ezequiel Dias, conforme fluxo estabelecido com a Secretaria de Estado da Saúde.
 
A PBH reforça a importância de a população seguir com o uso correto e contínuo de máscaras faciais, distanciamento social, etiqueta respiratória, higienização das mãos, além da vacinação completa. 

Veja o calendário vacinal da próxima semana em Belo Horizonte:
  • Dia 27/11, sábado: não haverá vacinação;  
  • Dia 29/11, segunda-feira: segunda dose para jovens de 14 anos, cuja data no cartão tenha completado pelo menos 21 dias da primeira dose. É necessário levar o cartão de vacina, o documento de identidade e CPF. Para se imunizar, os adolescentes dessa faixa etária precisam estar acompanhados dos pais ou responsáveis legais;
  • Dia 30/11, terça-feira: segunda dose para jovens de 13 anos, cuja data no cartão tenha completado pelo menos 21 dias da primeira dose. É necessário levar o cartão de vacina, o documento de identidade e CPF. Para se imunizar, os adolescentes dessa faixa etária precisam estar acompanhados dos pais ou responsáveis legais;
  • Dia 1/12, quarta-feira: segunda dose para adolescentes de 12 anos, cuja data no cartão tenha completado pelo menos 21 dias da primeira dose. É necessário levar o cartão de vacina, o documento de identidade e CPF. Para se imunizar, os adolescentes dessas faixas etárias precisam estar acompanhados dos pais ou responsáveis legais;
  • Dia 2/12, quinta-feira: repescagem para grupos e faixas etárias que foram vacinados com Pfizer e ainda precisam receber este imunizante, seja com a aplicação de primeiras e segundas doses, doses de reforço ou adicional;
  • Dia 3/12, sexta-feira: dose de reforço para idosos de 63 anos, cuja data da segunda dose tenha completado 5 meses. É necessário levar o cartão de vacina, o documento de identidade, CPF e comprovante de residência em Belo Horizonte.

O que se sabe da variante ômicron

Ainda não se sabe muito sobre essa nova variante, mas ela seria mais transmíssivel do que as demais.
 
Seu número reprodutivo está em 2, o que é "realmente muito alto", segundo a consultora médica-chefe da Agência de Segurança de Saúde do Reino Unido, Susan Hopkins.
 
Essa é a métrica que os cientistas usam para indicar quão contagiosa uma doença é: ou seja, cada pessoa infectada estaria, em média, passando o vírus para mais duas pessoas.
 
É um nível de transmissão não registrado desde o início da pandemia, antes de as restrições começarem a ser impostas, segundo Hopkins.
 
Quando o número reprodutivo excede 1, isso significa que a epidemia está fora de controle e aumentará exponencialmente.
 
Os casos confirmados – menos de 100 até agora – ainda estão concentrados em Gauteng, uma província da África do Sul, mas há indícios de que a nova variante pode ter se espalhado ainda mais.
 
 
* Com informações da BBC Brasil.

Veja a nota da PBH na íntegra:

"A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, informa que realiza um trabalho de monitoramento continuado para detectar precocemente novas variantes, além de outras situações relacionadas à transmissão da Covid-19. O sequenciamento genético é realizado pela UFMG e Fundação Ezequiel Dias, conforme fluxo estabelecido com a Secretaria de Estado da Saúde.
 
Pessoas que chegam à capital em voos internacionais são monitoradas. As equipes da Secretaria Municipal de Saúde entram em contato, esclarecem sobre os sintomas da doença e orientam quanto às medidas a serem adotadas enfatizando a necessidade da quarentena.
 
A Prefeitura reforça a importância de a população seguir com a medidas preventivas, com o uso correto e contínuo de máscaras faciais, distanciamento social, etiqueta respiratória, higienização das mãos, além da vacinação completa."
 
* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade