UAI
Publicidade

Estado de Minas CARNAVAL

'Nunca fez um carnaval na vida', diz Kalil em resposta a Zema

Zema criticou prefeitos que não pretendem organizar o carnaval em 2022, exatamente o que havia sido dito por Kalil


26/11/2021 12:17 - atualizado 26/11/2021 12:58

Alexandre Kalil, prefeito de BH
Kalil durante audiência pública nesta sexta, na Assembleia, sobre o Rodoanel Metropolitano (foto: Victor Oliveira/Assembleia Legislativa de Minas Gerais)
Alexandre Kalil (PSD), prefeito de Belo Horizonte, rebateu nesta sexta-feira (26/11) a Romeu Zema (Novo), governador de Minas Gerais, a respeito do carnaval de 2022 e das festas do fim deste ano. O prefeito belo-horizontino afirma que o governador mineiro está "dando palpite" e que ele não sabe organizar um evento desse porte.

"Olha, eu disse, falaram que eu tinha que ter cuidado, que eu tinha que cuidar do carnaval, que não sei o quê, estão aí dando palpite. É, exatamente, está dando palpite. Fazer papelzinho de recomendação serve não, nunca fez um carnaval na vida, então não venham ensinar o pai-nosso ao vigário", afirmou, em entrevista coletiva realizada ontem na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), em BH.

A troca de farpas teve início a partir de uma declaração de Kalil na última sexta-feira (19). O prefeito afirmou que o carnaval de 2022 não contaria com recursos públicos e que não "patrocinaria" o evento, com mais de quatro dias de festa nas ruas, a partir de um receio da situação da pandemia de COVID-19.

"A prefeitura dá, quando você vai passear na Lagoa da Pampulha, a Guarda Municipal, trânsito, cuidado, tudo que tiver de espontâneo é obrigação da prefeitura cuidar da população, ponto final, é isso. Não adianta, que a prefeitura não vai patrocinar carnaval, não vai patrocinar carnaval, não vai patrocinar nada", disse, na ocasião.

"Vamos investir o dinheiro do carnaval, eu autorizei o presidente da Belotur que invista o dinheiro do carnaval no evento posterior, não vamos guardar o dinheiro da cultura e dos eventos, vamos investir em cultura e evento. Mas, no carnaval, depois que veio a praia, depois que vem o réveillon e vir o carnaval é chamar o azar para o nosso lado. E eu não quero dar sopa para o azar", completou.

A posição motivou uma manifestação de Romeu Zema dias depois, na terça-feira. Sem citar nomes, o governador disse que a folia é de responsabilidade das prefeituras e que elas não deveriam se omitir.
 
"Todo evento referente a carnaval cabe às prefeituras estruturarem, executar. Mas o Estado quer dar total orientação, apoio. O pior que uma prefeitura pode fazer é não interferir em nada, falar: 'Eu não tenho nada a ver com isso'. Quando temos qualquer evento maior, é necessário que cada prefeitura pelo menos oriente, organize, não precise patrocinar, mas se omitir nesse momento seria o menos adequado a se fazer", disse.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade