UAI
Publicidade

Estado de Minas JÚRI POPULAR

Acusado de matar homem a tiros e ainda atropelar corpo é julgado em BH

Homicídio ocorreu no ano passado e foi flagrado por uma câmera de segurança. Namorada do acusado, que o ajudou no crime, era menor de idade


16/11/2021 10:27 - atualizado 16/11/2021 10:57

Momento em que homem baleado é atropelado no Califórnia
Após atirarem na vítima, casal entrou no carro e o motorista atropelou o homem duas vezes (foto: Reprodução da internet/WhatsApp)


É julgado na manhã desta terça-feira (16/11) no II Tribunal do Júri do Fórum Lafayette, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, Alexandre Henrique Oliveira Amorim, de 25 anos, acusado de matar Diego Adelson de Souza, de 34, em agosto do ano passado no Bairro Califórnia, Região Noroeste de Belo Horizonte. O homem foi baleado e atropelado na rua. A namorada do suspeito, que na época tinha 16 anos, também participou do crime, que foi flagrado por uma câmera de segurança. 

Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), consta na denúncia do Ministério Público do estado que na madrugada de 8 de agosto de 2020, Alexandre e a adolescente atiraram contra Diego e passaram com o carro por cima dele. 

Nas imagens do circuito de segurança, é possível ver que o homem contou com a ajuda da namorada para tirar a vítima do porta-malas do carro e atirar. Cada um deu três tiros. Em seguida, o casal embarcou no veículo, o motorista deu marcha à ré e atropelou a vítima duas vezes.



“Segundo a inicial, o motivo do crime foi torpe, eis que praticado em função de violência doméstica cometida pela vítima, o que poderia atrair a presença da polícia local, e, com isso, prejudicar a atividade do tráfico de drogas exercido pelo denunciado”, diz o texto. 

“Alega a acusação que foi utilizado recurso que dificultou a defesa da vítima, que foi surpreendida em sua residência pelo denunciado, que a agrediu e a colocou no porta-malas do veículo e, posteriormente, a matou”, diz o Tribunal de Justiça. “De acordo com o Ministério Público, o denunciado corrompeu a menor (...), induzindo-a à prática do ato infracional análogo ao crime de homicídio qualificado acima narrado”, conclui. 

O MPMG destaca que Alexandre usou de meio cruel para a prática do crime, atirando e atropelando a vítima por mais de uma vez. 

O júri é composto por quatro mulheres e três homens. De acordo com o TJMG, no interrogatório, Alexandre confessou ser o autor do crime e disse ter matado Diego porque foi jurado de morte por conta de uma dívida com traficantes. Ele disse, ainda, que atropelou o rapaz porque confundiu a ré do carro no momento da fuga, e afirmou estar arrependido do assassinato. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade