UAI
Publicidade

Estado de Minas PROTETORES DENUNCIAM

Ao menos 8 cães morrem envenenados em Água Comprida; outros 2 sobreviveram

Denúncia chegou a uma vereadora de Uberaba, município vizinho, que é protetora dos animais. Suspeito seria dono de uma chácara e de uma loja na zona rural


31/10/2021 12:26 - atualizado 31/10/2021 12:37

Um dos cães envenenados conseguiu ser resgatado a tempo. Ele foi tratado com carvão ativado e se recupera bem
Um dos cães envenenados conseguiu ser resgatado a tempo. Ele foi tratado com carvão ativado e se recupera bem (foto: Arquivo pessoal)
Pelo menos oito cães foram envenenados na zona rural de Água Comprida, no Triângulo Mineiro, neste fim de semana. Outros dois conseguiram sobreviver porque foram resgatados a tempo. Vizinhos e protetores de animais apontam que um homem seria o autor da violência contra os animais, porque os cachorros teriam atacado galinhas da chácara onde ele mora.

O caso aconteceu nese sábado (30/10), na região do Pier 2000, condomínio de chácaras e sítios que fica na divisa entre Água Comprida e Uberaba.

A vereadora de Uberaba Denise Max (Patriota), fundadora da Supra ONG (de defesa de animais), foi quem recebeu as primeiras denúncias de vizinhos. Ela conta que os ataques aconteceram por motivo fútil.

"Os cães teriam atacado galinhas que vivem no sítio desse homem, que também tem um comércio ali na região, e que tem um histórico de ficar soltando rojões e assustando outros animais. Ele envenenou os cães por 'vingança'", disse.

Ao menos 10 cães teriam sido envenenados, segundo contagem que foi realizada até o fechamento desta reportagem. Desses, oito morreram. Dois conseguiam ser salvos (inclusive o que ilustra esta matéria) porque os donos tinham carvão ativado em casa, que é o tratamento recomendado nesses casos.

Ainda não se sabe qual foi a substância usada para atacar os cachorros.

"Vamos fazer uma ação de conscientização no bairro, com o apoio dos vereadores e da Prefeitura de Água Comprida, para mostrar que casos como esses não podem ficar impunes", garante Denise. Um boletim de ocorrência será registrado na Polícia Civil ainda neste domingo (31/10).

Já está valendo no país uma nova lei contra maus-tratos a animais, que prevê penas de até cinco anos de prisão e multas para as pessoas flagradas ou denunciadas em situação do tipo.

O Estado de Minas ainda não conseguiu contato com o homem apontado como o autor do envenenamento.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade