UAI
Publicidade

Estado de Minas ALÉM DA COVID-19...

Passos lidera suspeitas de dengue no Sul de MG e teme epidemia com chuvas

Cidade é a líder na região Sul de Minas e prefeitura trabalha para evitar uma explosão de casos com a chegada das chuvas


01/10/2021 17:02 - atualizado 01/10/2021 17:43

agentes de saúde fazem a limpeza de lixo em terrenos de Passos
Agentes de saúde lidam com o descuido dos donos de terreno (foto: Acervo/Assessoria de Comunicação/PMP)
As autoridades do município de Passos ligaram o alerta. A cidade é a líder entre as 146 cidades do Sul de Minas com o maior número de  casos suspeitos de dengue , em pleno período de estiagem, o que leva a prefeitura a temer por um surto ou epidemia da doença com a chegada do período chuvoso, iniciado nesta sexta-feira (1º/10).
 
São 87 suspeitas, segundo balanço da Secretaria do Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) divulgado nessa quinta-feira (30/9). Das 146 cidades do Sul de Minas, 76 apresentam ao menos um caso provável de dengue do início do ano até a atualização feita ontem.

Como a região possui 884 suspeições, Passos é responsável por 10% desse total. Após o município, Três Corações (71) e São Sebastião do Paraíso (54) são os que possuem mais casos suspeitos.
 

Risco de surto ou epidemia

 
Todo esse cenário faz o diretor de saúde da Prefeitura de Passos, Thiago Agnello, projetar a possibilidade de Passos ter um surto ou epidemia de dengue nos próximos meses, marcados pela chuva, ambiente que favorece a proliferação do mosquito Aedes aegypti.
 
“Isso faz a gente ficar mais atento ainda, fazendo a eliminação a curto prazo para quando chegar a época das chuvas estarmos preparados. Nós fizemos a aquisição de um larvicida auxiliar, aprovado pelo Ministério da Saúde, para pequenos depósitos de água parada; vamos fazer uma sequência de mutirões, que começam agora no meio de outubro e vão até janeiro; e a contratação de mais agentes de saúde, que deve acontecer nos próximos dias” explica Agnello.
 
Hoje o município de Passos trabalha com mais de 112 agentes de combate, e os casos suspeitos de dengue já estão sendo monitorados. A Vigilância em Saúde, através do Núcleo de Zoonoses, fez 15 mutirões de retirada de materiais inservíveis em toda a cidade.

Segundo Thiago Agnello, agora está sendo feito um trabalho de notificação junto à Fiscalização Urbanística de todos os imóveis abandonados e terrenos, com o apoio do Ministério Público. “Hoje nós estamos fazendo o trabalho de UBV, que é aquela bomba costal, para eliminar esses focos de dengue. Lembrando que o município é infestado, estamos atentos a estas questões” disse.
 

Dificuldades

 
O diretor de saúde apontou a falta de conscientização da população como um dos principais desafios para evitar o surto ou mesmo a epidemia. “Os donos de terrenos em Passos não vêm colaborando com a limpeza, retirada de materiais inservíveis, com acúmulo de lixo, com a capina, com o manejo adequado nos terrenos", afirma Agnello.

"Diante disso, já foi protocolado na Procuradoria Municipal um pedido para que se altere a lei para punir os donos que não cuidam de seus terrenos de maneira mais efetiva. Estamos enviando também ao Ministério Público e pedindo um apoio da Fiscalização Urbanística para que essas pessoas respondam pelo código 267 e 268 do Código Penal, que é crime contra a saúde pública”, finalizou.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade