Publicidade

Estado de Minas FERROVIA

ANTT abre caminho para viabilizar trem ligando o Rio de Janeiro a Minas

Agência aprova reforma do trecho Três Rios-Sapucaia (RJ), primeiro passo para restabelecer viagem de 168 quilômetros por linha férrea entre os dois estados


03/08/2021 06:00 - atualizado 03/08/2021 16:22

Viagem teste entre Recreio e Cataguases, percurso de 60 quilômetros na Zona da Mata, em 2018, marcou mais uma etapa da campanha pela retomada(foto: Edésio Ferreira/EM/DA Press - 19/05/2018)
Viagem teste entre Recreio e Cataguases, percurso de 60 quilômetros na Zona da Mata, em 2018, marcou mais uma etapa da campanha pela retomada (foto: Edésio Ferreira/EM/DA Press - 19/05/2018)

 
O desejo de viajar no trem turístico Rio-Minas, planejado para trafegar entre Cataguases, na Zona da Mata Mineira, e Três Rios, no lado fluminense, está mais perto de ser realizado – pelo menos em parte. Depois da longa espera dos defensores da iniciativa, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) aprovou a reforma do trecho Três Rios-Sapucaia (RJ), que passa pelo município de Chiador, em Minas. O pedido foi apresentado pela concessionária Ferrovia Centro Atlântica (FCA)/VLI Logística, com autorização já publicada no “Diário Oficial da União”.
 
O trecho Três Rios-Sapucaia compreende inicialmente 37 quilômetros e consiste no primeiro módulo do trajeto completo de 168 quilômetros. Em Chiador, o trem vai parar na estação de Penha Longa, já que a antiga e primeira do estado, inaugurada em 1869 pelo imperador dom Pedro II (1825–1891), aguarda obras de restauração, informa a presidente da Oscip (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) Amigos do Trem, Cyntia Nascimento Leite, que está à frente da empreitada.
 
“Nossa expectativa é de que o trem turístico comece a circular até o fim do ano que vem, pois o prazo para a obra é de 18 meses. A autorização da ANTT nos animou bastante. Estamos esperando há muitos anos, com luta, fé e determinação, para ver o trem cheio de passageiros interessados em curtir as belezas da região”, afirma Cyntia. A Amigos do Trem foi criada há 20 anos por Paulo Henrique do Nascimento, mineiro de Juiz de Fora, na Zona da Mata, que faleceu há três anos após dedicou décadas à tarefa de  estruturar as bases do projeto e colocar em prática suas ideias.
 
Passando por estações de oito municípios, a maioria em Minas, o trem percorrerá futuramente os 168 quilômetros em três horas, nos fins de semana e feriados. No roteiro, Cataguases, Leopoldina, Recreio, Volta Grande e Além Paraíba, na Zona da Mata, Sapucaia (RJ), Chiador (MG) e Três Rios (RJ) – enquanto uma composição fizer o trecho Três Rios-Cataguases, a outra vai operar no sentido inverso, ambas com partidas programadas para a parte da manhã e encontro no meio do caminho. Trata-se do antigo ramal ferroviário Leopoldina, e todos os 15 vagões, que pertenceram à Vale para a rota Belo Horizonte-Vitória (ES), foram restaurados na oficina de trens em Recreio.
 
 Em nota, a VLI, administradora da Ferrovia Centro-Atlântica, informa que executará a reestruturação do trecho entre Três Rios (RJ) e Sapucaia (RJ) conforme deliberado pela ANTT. O cronograma estabelecido prevê a apresentação de um plano de trabalho dentro de três meses, e a execução e entrega da reestruturação do referido trecho em um período de 18 meses, a contar de 23 de julho deste ano.

DIVERSÃO E CONHECIMENTO Primeiro trem turístico interestadual do Sudeste do país, o Rio-Minas pretende pôr nos trilhos diversão, conhecimento e histórias do início ao fim. “Acreditamos que o Rio-Minas será importante para fortalecer não só o turismo, mas também a cultura e o comércio de maneira geral, gerando renda. Há muitos atrativos ao longo da ferrovia. No entorno, vivem cerca de 900 mil pessoas”, conta a presidente da Oscip. Entusiasmada, ela diz que os passageiros poderão ver futuramente, no trajeto completo, os rios, a represa de Furnas, fazendas centenárias, as próprias estações, que são um patrimônio histórico, e belas paisagens.
 
 Quem viajar no Rio-Minas terá à disposição 15 vagões com capacidade para 870 pessoas. Vale destacar que, além de restaurante e lanchonete, haverá vagão específico para eventos e acessibilidade para passageiros com deficiência. A velocidade deverá chegar a 30 km/h.
 
“Nestes anos de espera, contamos com a colaboração de várias instituições e ‘amigos do trem’, como o Grupo Mil, FCA/VLI, o Ministério Público Federal em Minas, o Sebrae Rio, as prefeituras de municípios localizados ao longo do trecho, a empresa mineira Sumicity e, claro, os voluntários”, diz a presidente da Oscip. Com o sinal verde da ANTT e do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), obras de recuperação do trecho podem começar finalmente a ser feitas, acrescenta.

 

Primeira viagem-teste



Em 19 de maio de 2018, a pacata cidade de Recreio, na Zona da Mata, viveu um momento histórico. Bem cedo, veio gente de todo lado para ver a partida do trem Rio-Minas, que, naquele dia, fazia uma viagem-teste em direção a Cataguases, num trajeto de 60 quilômetros. A equipe do Estado de Minas estava presente e divulgou um vídeo que viralizou na internet. Tendo à frente Paulo Henrique do Nascimento (foto), idealizador do projeto, que faleceria em novembro daquele ano, a viagem envolveu 15 pessoas, sendo sete a bordo e oito de carro, munidos de rádios de comunicação para fazer acompanhamento. Naquela viagem-teste, os passageiros ficaram de fora, apenas acenando de longe para o trem que trafegava em velocidade baixa (de 3 a 5 km/h) com duas  locomotivas e três vagões. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade