Publicidade

Estado de Minas INDICADORES EM QUEDA

COVID-19 em BH: julho fecha como o 2º mês com menos casos e mortes em 2021

Em termos de diagnósticos, apenas em fevereiro a prefeitura registrou menos. Já quanto às mortes, o mês que se encerra neste sábado (31/7) superou janeiro


30/07/2021 19:36 - atualizado 30/07/2021 20:22

Vacinação explica queda nos números da COVID-19 em BH(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Vacinação explica queda nos números da COVID-19 em BH (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
 

A Prefeitura de BH publicou, nesta sexta-feira (30/7), seu último boletim epidemiológico e assistencial da COVID-19 de julho. E com números que comprovam os efeitos da campanha de vacinação na capital.

 

Neste mês, Belo Horizonte registrou o segundo menor número de mortes da doença do ano. O mesmo vale para o total de casos: o segundo menor de 2021.

BH fechou julho com 460 óbitos por COVID-19, uma média de 20,9 por balanço. O mês com o menor total de 2021 continua sendo janeiro: 364 vidas perdidas, mediana de 18,2 por boletim.

Em total de diagnósticos da virose, a capital termina julho com 22.577 registros. O mês só supera fevereiro quando a prefeitura atestou 21.785 casos confirmados.

Esses dados comprovam a eficácia da campanha de vacinação. E atestam que se ela tivesse começado antes, ou até acelerado em velocidade maior, muitas vidas teriam sido salvas.

 

Ainda assim, o julho deste ano supera em muito os dados do mesmo período de 2020: 460 mortes contra 392 e 22.577 casos ante 14.679 no mesmo mês do ano passado.

 

Em termos de vacinação, o mês termina com 549.885 injeções aplicadas na cidade: 317.971 de primeira dose, 173.346 de segunda e 58.568 imunizantes da Janssen (Johnson & Johnson), de desempenho único.

Dessas, 31.342 entraram para o balanço nas últimas 24 horas: 528 de dose única, 21.222 de primeira e 9.592 de segunda.

Indicadores

Atual cenário dos indicadores da COVID-19 em BH(foto: Janey Costa/EM/D.A Press)
Atual cenário dos indicadores da COVID-19 em BH (foto: Janey Costa/EM/D.A Press)
 

 

Como o Estado de Minas mostrou na edição dessa quinta (28/7), julho também representou queda nos indicadores da COVID-19 em BH. Apenas um dos três parâmetros principais não está na zona controlada da escala de risco: a ocupação dos leitos de UTI.

 

 

 

Nesta sexta, esse índice fechou o balanço com 56,8% de ocupação, ligeiramente superior aos 55% registrados no levantamento anterior. Porém, o dado abriu o mês em 63,4%, ou seja, está em queda.

 

 

 

No caso das enfermarias, BH iniciou julho com uma taxa de 47,8% e o termina com 47%. Houve alta em comparação ao informe anterior, que computava 45,3%.

 



Já a transmissão do novo coronavírus largou em 0,89 e termina em 0,88. Na prática, a cidade se manteve na maior parte do mês dentro da zona de controle: 14 dos 22 balanços.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade