Publicidade

Estado de Minas CRIME

Drone, celulares e maconha são apreendidos próximo à penitenciária de Neves

Equipamento estava sendo controlado por dois homens que estavam próximos ao presídio. Suspeita é de que material seria transportado até a unidade


27/07/2021 18:53 - atualizado 27/07/2021 19:26

Vasto material foi encontrado por policiais penais próximo ao presídio José Maria Alkmin, em Ribeirão das Neves, na Grande BH(foto: Divulgação/Sejusp)
Vasto material foi encontrado por policiais penais próximo ao presídio José Maria Alkmin, em Ribeirão das Neves, na Grande BH (foto: Divulgação/Sejusp)
Um drone foi interceptado por policiais penais da Penitenciária José Maria Alkmin, em Ribeirão das Neves, na Grande BH, nessa segunda-feira (26/7). O equipamento, que era controlado por dois homens, estava fazendo um sobrevoo nas proximidades da unidade prisional quando foi flagrado. Os suspeitos conseguiram fugir, mas celulares e maconha foram encontrados.

De acordo com a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), a equipe de plantão da penitenciária iniciou as buscas nas redondezas do local, com apoio do Grupamento de Intervenção Rápida (GIR) e do Canil. 

Ao serem flagrados, os homens que estavam controlando o drone fugiram, mas deixaram para trás, além do próprio equipamento, o controle dele, uma mochila carregada com cinco celulares, carregadores, baterias para o drone e 497 gramas de substância análoga à maconha. Tudo indica que o material seria transportado até a penitenciária.

Um boletim de ocorrência foi registrado e o material apreendido foi encaminhado para a Polícia Civil.

Quatro drones apreendidos


Com a apreensão efetuada nessa segunda-feira, chegaram a quatro o número de drones interceptados somente na Penitenciária José Maria Alkmin. Além disso, só no primeiro semestre foram encontrados 322 aparelhos celulares, 257 chips de celular, 125 baterias, 263 carregadores, entre outros itens.

Equipes de segurança também já encontraram uma balança de precisão, além de 277 pinos com substância semelhante à cocaína e 581 porções de substância semelhante à maconha.

Ainda segundo a Sejusp, os drones interceptados e apreendidos podem fazer parte do Grupamento de Patrulha Aérea (Gpaer), que trabalha em conjunto com as equipes de inteligência e segurança das unidades prisionais, monitorando os locais e acionando reforços, quando necessário. Para serem incorporados à frota, é necessário aval judicial.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade