Publicidade

Estado de Minas LEVE AUMENTO

BH tem alta em todos os indicadores da COVID, mas dois seguem em controle

Maior variação aconteceu na ocupação dos leitos de enfermaria, que saiu de 44,7% para 46,5%


27/07/2021 18:15 - atualizado 27/07/2021 18:53

Atual cenário dos indicadores da COVID-19 em BH(foto: Janey Costa/EM/D.A Press)
Atual cenário dos indicadores da COVID-19 em BH (foto: Janey Costa/EM/D.A Press)
 

 

Belo Horizonte registrou alta em todos os indicadores da COVID-19 nesta terça (27/7), informa o boletim epidemiológico e assistencial da prefeitura. Ainda assim, a cidade continua com dois parâmetros em controle (enfermarias e transmissão) e um em alerta (UTIs).

 

 

 

Conforme o documento, a ocupação dos leitos de enfermaria para pacientes com a doença aumentou de 44,7% para 46,5%. Como está abaixo dos 50%, o parâmetro continua no patamar menos grave pelo segundo balanço consecutivo.

 

Quanto às vagas de UTI, a prefeitura registrou leve crescimento de 57,7% para 57,9%. Portanto, o dado permanece no nível intermediário da escala de risco, entre 50% e 70%.

 

 

 

Esse é o quadro dos leitos de terapia intensiva desde 24 de junho – 23 boletins em sequência.

 

Tanto nas UTIs quanto nas enfermarias para COVID-19, o quadro exige mais cuidados na rede SUS: ocupações de 74,9% e 64,9%, respectivamente.

 

Para efeito de comparação, nos hospitais privados, 41,3% das UTIs e 27,4% dos leitos clínicos estão em uso.

 

O terceiro indicador, a transmissão do novo coronavírus, teve pequena alta de 0,9 para 0,91. Ainda assim, o RT permanece no patamar controlado.

 

 

 

Atualmente, em média, 91 pessoas se infectam com o vírus a cada 100 casos confirmados da doença em BH.

 

A baixa dos números nas últimas semanas permitiu que Belo Horizonte flexibilizasse ainda mais suas atividades nesta terça.

 

A Prefeitura de Belo Horizonte anunciou a volta do público aos estádios e a extensão no horário de funcionamento dos bares e restaurantes.

 

Casos e mortes

 

Mais 14 mortes por COVID-19 entraram para o balanço da prefeitura nesta terça. Essa foi a segunda menor alta no dado de julho, perdendo apenas para o dia 15, quando a PBH computou 12 vidas perdidas.

 

Agora, a capital mineira totaliza 6.204 óbitos – 435 neste mês, média de 22,8 por balanço epidemiológico e 16,1 por dia.

 

Em termos de casos, o Executivo municipal registrou alta de 1.106. O município atesta 257.247 diagnósticos confirmados até o momento: 3.906 em acompanhamento e 247.137 recuperados, além dos que não resistiram.

 

Vacinação

 

População aguarda para ser vacinada em BH: avanço da campanha tem reduzido indicadores da COVID-19 na cidade(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press - 22/07/2021)
População aguarda para ser vacinada em BH: avanço da campanha tem reduzido indicadores da COVID-19 na cidade (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press - 22/07/2021)
 

 

Belo Horizonte chegou à marca de 1.379.849 vacinados contra a COVID-19 com a primeira dose nesta terça. Outras 543.918 pessoas receberam a segunda.

 

Portanto, a capital mineira vacinou 61,1% do seu público-alvo com a primeira injeção. Por outro lado, 25,5% desse mesmo contingente completou o esquema vacinal.

 

Em relação ao boletim anterior, a prefeitura contabilizou mais 16.068 aplicações de vacinas em BH: 8.321 de primeira etapa e 7.747 de segunda.

 

Segundo números da prefeitura, já se vacinaram com a primeira dose:

 

  • 69.475 profissionais da educação
  • 11.620 gestantes e puérperas
  • 200.194 trabalhadores da saúde
  • 18.782 servidores da segurança pública
  • 467.910 idosos acima de 60 anos
  • 207.204 pessoas do grupo de risco, deficientes e beneficiários do BPC
  • 369.100 entre 37 e 59 anos
  • 35.564 de outros grupos, como moradores em situação de rua, motoristas e garis
 

A cidade recebeu 2.402.707 vacinas até aqui. A PBH não informa mais quantas doses recebeu de cada fórmula.

-->-->-->-->


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade