Publicidade

Estado de Minas VIOLÊNCIA

Polícia de Juiz de Fora esclarece um latrocínio e duas tentativas

Em dois dos três casos, os suspeitos eram usuários de drogas


12/07/2021 18:22 - atualizado 12/07/2021 20:53

O delegado Rogério Woyame, de Juiz de Fora, comandou as três investigações(foto: PCMG)
O delegado Rogério Woyame, de Juiz de Fora, comandou as três investigações (foto: PCMG)

Um latrocínio consumado em janeiro de 2020, e outros dois tentados, um em abril deste ano, e outro em dezembro de 2016, foram esclarecidos pela Delegacia Especializada de Repressão a Roubos de Juiz de Fora. Três suspeitos foram presos, de 27, 31 e 37 anos.


Segundo o delegado Rogério Woyame, no crime mais recente, em 27 de abril, dois homens invadiram a residência de um médico, de 59 anos, no Bairro Alto dos Passos, em Juiz de Fora, e tentaram matar a vítima, depois de roubá-lo. Um dos criminosos, de 37 anos, já está preso.


Segundo ele, os ladrões seriam usuários de droga e, antes de entrar na residência da vítima, estariam à espreita, na rua, à espera de uma oportunidade para cometer o crime. “Eles estavam procurando alguma casa para cometer furto ou roubo. Tinham uma arma de fogo. Primeiro, pularam o muro de uma casa, mas um cachorro começou a latir e eles fugiram. Posteriormente, pularam o muro para outra casa, a do médico, onde entraram, depois de encontrar uma das portas de acesso aberta, nos fundos.”


O delegado explica que ao se deparar com os homens dentro da residência, o médico achou que eles estavam roubando seu filho e acabou entrando em luta corporal com os suspeitos. “Na briga, um dos autores teria efetuado dois disparos contra o médico e um dos disparos acertou a vítima no abdômen. O suspeito que já se encontra preso confessou que tentou efetuar mais disparos de arma de fogo contra o médico, mas a arma falhou.”


O segundo crime, ocorrido em 28 de janeiro do último ano o suspeito de 31 anos, que é usuário de droga e sobrinho da vítima, de 79 anos, teria entrado na residência da tia e roubado dinheiro desta. “Em razão do vício, ele acabou matando a tia”, diz o delegado.

 

O terceiro crime esclarecido, outro latrocínio tentado, teve o autor, de 27 anos, preso. Este crime ocorreu em dezembro de 2016, no distrito de Dias Tavares. A vítima, de 20 anos, levou quatro tiros, durante o roubo de um celular.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade