Publicidade

Estado de Minas APÓS OBRAS

Vale diminui nível de emergência de barragem em Barão de Cocais (MG)

Sul Inferior faz parte da Mina de Gongo Soco, onde também está a Sul Superior, represa em estado crítico desde março de 2019


18/06/2021 21:32 - atualizado 18/06/2021 22:11

Máquinas da Vale trabalham na área da Mina de Gongo Soco, em Barão de Cocais, onde está a Sul Inferior(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press - 02/06/2019)
Máquinas da Vale trabalham na área da Mina de Gongo Soco, em Barão de Cocais, onde está a Sul Inferior (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press - 02/06/2019)
 

 

A Vale diminuiu, nesta sexta (18/6), o nível de emergência da Barragem Sul Inferior, na Mina de Gongo Soco, em Barão de Cocais, Região Central de Minas Gerais. A represa estava em nível 2 (anomalia não controlada) e agora está no 1, o mais seguro do Plano de Ação de Emergência de Barragens de Mineração (PAEBM).

 

De acordo com a Vale, a Agência Nacional de Mineração (ANM) e o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) já foram avisados sobre a redução.

 

No Cadastro Nacional de Barragens de Mineração, administrado pela ANM, a Sul Inferior já aparece em nível 1.

 

A melhoria, segundo a mineradora, aconteceu por meio de "obras corretivas no talude, acompanhadas e atestadas pela consultoria técnica responsável".

 

Ainda assim, as famílias proprietárias de imóveis dentro da Zona de Autossalvamento (ZAS) da Mina de Gongo Soco permanecem proibidas de acessar a área.

 

Isso porque o complexo também abriga a Barragem Sul Superior, que está em nível 3 desde março de 2019.

 

A Sul Superior tem método de construção idêntico às represas de Fundão (Mina de Germano) e 1 (Mina de Córrego do Feijão), que se romperam, respectivamente, em Mariana e Brumadinho em 2015 e 2019.

 

Portanto, a Vale trabalha para descomissionar esse barramento, conforme lei sancionada por Romeu Zema (Novo) há dois anos.

 

Histórico

 

A Sul Inferior teve seu nível elevado para a segunda fase em 25 de janeiro de 2020 por conta de erosão em seu reservatório após fortes chuvas. A situação, porém, está resolvida agora.

 

A Vale construiu essa represa em etapa única, método mais seguro que a montante. Ela está desativada, guarda água e sedimentos e tem volume de 595 mil metros cúbicos. A altura é de 35 metros.

 

Segundo a mineradora, apesar das melhorias, Sul Inferior vai continuar sendo monitorada "24 horas por dia pelo Centro de Monitoramento Geotécnico (CMG) e recebe inspeções regulares de equipes internas e externas".


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade