Publicidade

Estado de Minas TRANSPORTE

Moradores de bairro de Pedro Leopoldo só têm ônibus uma vez por semana

Moradores de bairro afastado do centro de Pedro Leopoldo e próximo à divisa com Ribeirão das Neves contam que têm acesso à linha de ônibus só na segunda-feira


09/06/2021 17:09 - atualizado 09/06/2021 18:28

A linha de ônibus foi criada em 2018 e atendia em dois horários, todos dos dias da semana. Agora, só passa no bairro às segundas-feiras(foto: Prefeitura de Pedro Leopoldo/Divulgação)
A linha de ônibus foi criada em 2018 e atendia em dois horários, todos dos dias da semana. Agora, só passa no bairro às segundas-feiras (foto: Prefeitura de Pedro Leopoldo/Divulgação)
Os moradores do Bairro Manoel Brandão, em Pedro Leopoldo, Região Metropolitana de Belo Horizonte, estão reclamando que o serviço de transporte público da cidade tem sido praticamente inexistente para eles.

O motivo é que a linha de ônibus 130 (Pedro Leopoldo/Manoel Brandão), operada pela empresa Expresso Unir, só circula nas segundas-feiras, nos horários de 6h40 e 17h20.
 
Cléber da Silva, morador do bairro, afirma que há quatro meses os ônibus pararam de circular na região de terça-feira a domingo e que os trabalhadores têm passado dificuldades para chegar ao trabalho.

Ele também aponta que pessoas que precisam de assistência à saúde estão sendo prejudicadas.
 
Cléber também afirma que o bairro não tem infraestrutura de escolas públicas e Unidade Básica de Saúde (UBS). Por isso, precisam se deslocar para o bairro vizinho, Vera Cruz, para terem acesso aos serviços públicos.

Porém, encontram muitas dificuldades em chegar ao bairro e também a outras localidades da cidade. A única forma para se locomoverem é por meio do transporte público.
 
“Tenho um problema sério de coluna, faço um tratamento desde de 2014 no centro de Pedro Leopoldo e, por isso, preciso de ônibus todos os dias. Vejo que é um direito constitucional que está sendo retirado da população. Ficamos isolados, sem nenhuma assistência e sem mobilidade para buscar outras formas de sobreviver”, reclama.
 
O morador conta que a situação já estava ruim porque a linha de ônibus só circulava em dois horários por dia e que já havia pedido a ampliação do quadro de horário. Agora, o morador afirma que não pode mais contar nem com o mínimo.
 
Em busca de uma solução para ampliar os ônibus no bairro, Cléber da Silva conta que foi instaurada uma notícia de fato no Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e que, em maio de 2021, a empresa de ônibus Expresso Unir apresentou esclarecimentos alegando que o quadro de horário e número de frotas são definidos pela Gerência Municipal de Trânsito e Transportes de Pedro Leopoldo – Trans-PL – e que a circulação dos ônibus leva em consideração a demanda específica de deslocamento de pessoas.
 
O morador considera que a resposta dada pela empresa foi insuficiente e que o “jogo de empurra” entre a Unir e a autarquia da prefeitura esconde problemas maiores, como a falta de asfalto nas ruas do bairro e a empresa de ônibus não quer colocar os veículos circulando no local também por esse motivo.
 
Patrícia cuida do pai, que é cadeirante e precisa do transporte público para ir ao médico(foto: Arquivo pessoal)
Patrícia cuida do pai, que é cadeirante e precisa do transporte público para ir ao médico (foto: Arquivo pessoal)
 
Patrícia Mendes, moradora do bairro há sete anos, conta que é muito sacrifício levar o pai cadeirante ao centro de Pedro Leopoldo para consultas médicas.
 
“A gente precisa dessa linha de ônibus, não é só um dia da semana e, sim, todos os dias, nos horários certos. O meu pai perdeu as duas pernas e depende do transporte público, não é todo mundo que tem dinheiro para pagar aplicativo”.
 
Marcelo Martins, de 61 anos, mora no bairro há sete anos e acredita que pelo fato de o bairro ser mais próximo da cidade de Ribeirão das Neves, ele é esquecido pelo poder público de Pedro Leopoldo.

Aposentado por invalidez devido ao um problema no joelho, Marcelo prefere ir a pé até a Rodovia Neves nos outros dias da semana quando precisa pagar alguma conta.
 
“Mesmo com dores no joelho, caminho cerca de um quilômetro em uma estrada ruim e perigosa para chegar à Rodovia Neves e, assim, pegar um ônibus. Acredito que um micro-ônibus ou um suplementar que liga o Manoel Brandão ao Vera Cruz seria uma solução”.

 
O que a Prefeitura diz 

 
 
Rua seis, no bairro Manoel Brandão, assim como todas as ruas do bairro, esperam os asfaltamento (foto: Divulgação/arquivo pessoal)
Rua seis, no bairro Manoel Brandão, assim como todas as ruas do bairro, esperam os asfaltamento (foto: Divulgação/arquivo pessoal)
 
A Prefeitura Municipal de Pedro Leopoldo informa que encontra-se em tramitação uma Ação Civil Pública, por intermédio do Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MPMG) que busca a regularização ambiental e urbanística do bairro Manoel Brandão, tendo em vista que seu loteador, a empresa Tennessee Empreendimentos Imobiliários LTDA, localizada em Belo Horizonte, não executou todas as obras de infraestrutura necessárias. 
 
A ação encontra-se em andamento e o Município tem realizado o seu regular acompanhamento.
 
A Secretário Municipal de Obras e Serviços Públicos, afirma que embora tratar-se de obrigação do loteador, a secretaria, dentro das suas possibilidades, tem buscado  manutenção nas vias, por meio de patrolamento e colocação de bica corrida. 
 
Ainda segundo a Secretaria, além de procurar manter as ruas em condições de tráfego, o município disponibiliza assistência médica através da UBS do bairro Vera Cruz e o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Social. 
 
A prefeitura de Pedro Leopoldo ressalta que é do interesse da administração equacionar os problemas decorrentes da situação irregular do loteamento, ainda que em conjunto com o dono do empreendimento, cada qual, evidentemente, cumprindo com suas obrigações legais para que a população do bairro Manoel Brandão não seja penalizada e tenha acesso aos serviços públicos devidos.
 

Audiência Pública

O problema dos usuários do transporte público da cidade já chegou à Câmara Municipal de Pedro Leopoldo e o vereador Mauro Lopes (PSD) apresentou um requerimento no dia 14 de maio, solicitando ao presidente da Câmara Municipal, Eldir Batista, conhecido como Baixinho da Garagem ( MDB), a realização de audiência pública.

O objetivo é debater a situação da empresa Expresso Unir com o gerente da TransPl, Wantuir da Silva.
 
O vereador conta que a precariedade do transporte público está presente em toda a cidade e o bairro Manoel Brandão é um dos mais prejudicados.

O vereador também afirma que já tentou contato com a prefeitura por meio da TransPl para saber como são feitas as fiscalizações na empresa Expresso Unir, mas, até o momento, nenhum vereador teve acesso às notificações e nem às medidas tomadas contra a empresa.
 
“Estamos com dificuldades em marcar uma audiência pública aqui na Câmara Municipal, o requerimento já está nas mãos do presidente da Câmara, mas ainda não marcou a audiência, que é muito necessária para entendermos o que está acontecendo com o transporte público de Pedro Leopoldo”.
 
A reportagem entrou em contato com a empresa Tennessee Empreendimentos Imobiliários LTDA , mas, até o fechamento da matéria, não teve retorno das ligações.
 
A reportagem também entrou em contato com a TransPl, que também não respondeu às perguntas.
 
A reportagem procurou a empresa Expresso Unir que não atendeu ao telefone.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade