Publicidade

Estado de Minas TRADIÇÕES

Tapetes de Corpus Christi em Sabará foram feitos com casca da jabuticaba

Tradicional na cidade, a jabuticaba esteve presente no maior tapete de Corpus Christi já feito em Sabará. Por causa da pandemia, visitação foi por drive thru


03/06/2021 17:53 - atualizado 03/06/2021 18:17

O tapete recorde foi criado na Praça Santa Rita com 80m² e trazia mensagem de esperança sobre a Pandemia. (foto: Prefeitura de Sabará/Divulgação)
O tapete recorde foi criado na Praça Santa Rita com 80m² e trazia mensagem de esperança sobre a Pandemia. (foto: Prefeitura de Sabará/Divulgação)
Os tapetes da celebração de Corpus Christi são uma tradição centenária. Na histórica Sabará, a 20 quilômetros de Belo Horizonte, eles são feitos pelo artista Geilson Dantas que cria os desenhos e a comunidade ajuda a preencher com os materiais coloridos. Por causa das medidas restritivas da pandemia, os tapetes neste ano foram vistos na rua Dom Pedro II pelo sistema drive thru para evitar aglomerações. A jabuticaba, tão importante árvore da cultura sabarense, esteve presente no maior tapete já produzido na cidade. Sua casca foi a responsável por dar cor ao desenho.
 
O tapete especial estava na Praça Santa Rita mede 80m² e trouxe uma mensagem de esperança à população em relação à COVID-19. Nele estava escrito: “Esta luta vamos vencer”.
 
“Se Deus quiser no próximo ano a gente fará um tapete com outros dizeres e comemorando que acabou a pandemia”, disse Geilson, que participa da criação dos desenhos em Sabará desde 2014. O artista é potiguar, tem 51 anos e chegou a Sabará para trabalhar como engenheiro em uma mineradora.  
 
Os variados desenhos são criados com pó de serragem, pó de café, sal e cal, e colorem as vielas de pedra do Centro Histórico. Mas Geilson usou, dessa vez, um ingrediente pra lá de especial aos sabarenses: a casca de jabuticaba desidratada.

A casca da jabuticaba foi um dos materiais usados para dar cor à arte.(foto: Prefeitura de Sabará/Divulgação)
A casca da jabuticaba foi um dos materiais usados para dar cor à arte. (foto: Prefeitura de Sabará/Divulgação)
A jabuticaba é a fruta mais tradicional em Sabará. É tão importante para a cidade que tem uma festa especial no mês de novembro. Este Festival ganhou título de Patrimônio Imaterial do município. Atualmente, existe uma lei municipal que oferece descontos nos impostos territoriais para quem preserva uma jabuticabeira no quintal de casa. O objetivo é preservar o produto local que gera renda aos moradores no período da colheita. Neste ano, a típica iguaria contribuiu para deixar as ruas coloridas e manter a tradição na cidade.
 
“Esta tradição não pode acabar. Nós temos que continuar fazendo todo ano e cada vez mais bonitos os tapetes pra mostrar para toda a comunidade que tenham cada vez mais fé e esperança”, ressaltou Geilson Dantas.
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade