Publicidade

Estado de Minas EXPLORAÇÃO SEXUAL

Operação prende 14 suspeitos de estuprar crianças e adolescentes em Minas

Operação faz parte Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. PCMG promove lives pra discutir o tema; veja


18/05/2021 15:20 - atualizado 18/05/2021 16:06

(foto: pixabay/ reprodução)
(foto: pixabay/ reprodução)
A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) iniciou, nesta terça-feira (18/5), uma operação visando o cumprimento de mandados de prisão e de busca e apreensão contra suspeitos por crimes de estupro de vulnerável. A ação resultou em 14 prisões, entre preventivas e por condenação.

Entre os suspeitos localizados pela manhã está um homem de 55 anos, preso na região do Barreiro, devido à condenação por estupro de vulnerável, cometido contra a sobrinha, em 2014. Na época, a menina tinha 7 anos.

Um homem de 51 anos, investigado pelo estupro de uma criança de 1 ano, também foi preso preventivamente. O crime ocorreu em abril deste ano, na Praça da Cemig, também região do Barreiro. 

O homem era namorado da mãe da criança, e ficou com a menina enquanto a mulher se afastou para comprar um lanche. Ao retornar, a mulher notou que o vestido da filha estava sujo de sangue e o dedo do namorado também. Após contar para familiares, ela procurou a PCMG e denunciou o crime.

Ainda foi cumprido mandado de prisão, por condenação, de dois homens, motoristas de van escolar acusados, em 2009, de abusar das crianças durante o serviço de transporte.

A polícia também cumpriu mandado de prisão contra um pai, que já estava preso, após denúncia de abusos contra a filha, de 15 anos, nos períodos em que ele recebia benefícios de saída do sistema prisional. O homem cumpre pena por crimes contra o patrimônio e envolvimento com drogas.

Outra adolescente, de 15 anos, estuprada pelo pai desde os 12, filmou os abusos para que a mãe acreditasse nos fatos. Após ter acesso às imagens, a mãe procurou a Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente e denunciou o crime. O suspeito foi preso preventivamente nesta terça-feira.

Entenda como a cultura da pedofilia está presente na sociedade 

Os trabalhos foram realizados pelos policiais da Divisão Especializada em Orientação e Proteção à Criança e ao Adolescente (Dopcad). A operação foi chamada de Araceli.

“A Operação Araceli é uma homenagem à menina, de 8 anos, estuprada e morta em 1966, que motivou a lei determinando a data de 18 de maio como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração de Crianças e Adolescentes”, conta o delegado e o chefe da Dopcad, Felipe Falles. Foram mobilizados 40 policiais para efetivar essas prisões que aconteceram em diversos bairros de Belo Horizonte, no município de Itaúna e em São Gonçalo do Pará.

Em agosto do ano passado, a reportagem do EM mostrou que Minas Gerais  tem quase cinco estupros por dia de meninas de até 14 anos.



Dia Nacional de Combate à Exploração Sexual

A Operação Araceli faz parte do conjunto de trabalhos para o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A programação inclui uma operação policial, o lançamento de um vídeo-animação e da cartilha de prevenção, bem como a realização de lives que serão transmitidas ao longo do mês pelo Instagram da instituição: @pcmg.oficial.

Uma animação, produzida pelo Departamento de Investigação, Orientação e Proteção à Família (Defam), em parceria com a Delegacia Especializada em Investigação de Crime Cibernético, também faz parte das ações. O vídeo é direcionado ao público infantil e apresenta informações de prevenção ao abuso e à exploração de crianças e adolescentes através dos meios digitais. O diálogo de duas crianças traz dicas de segurança e orienta, de forma lúdica, sobre o uso da internet.



Cartilha


Também prevista na programação, o lançamento da cartilha “É direito de toda criança viver sem violência” visa apresentar conteúdo sobre prevenção e orientação direcionado a pais e responsáveis em caso de suspeita de abusos.

O material reúne textos sobre os sinais que podem ser apresentados pelas crianças e adolescentes vítimas de abusos, dicas de como conversar com as vítimas. A versão on line podem ser baixadas pelo link: www.policiacivil.mg.gov.br/pagina/servico-cartilhas-pcmg.



Lives


Durante todo o mês de maio, a PCMG irá promover debates entre profissionais que atuam na defesa e proteção de crianças e adolescentes, com transmissão, ao vivo, pelo perfil oficial da PCMG no instagram.

Para a abertura, nesta terça-feira (18/5), às 18h, representando a Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente, a delegada Renata Ribeiro recebe a professora de direitos humanos, delegada Elisa Moreira e o promotor de Justiça de Minas Gerais, Casé Fortes. O tema da discussão será “Pedofilia e os meios digitais.”

As próximas lives estão agendadas para 20, 25 e 28 de maio e abordarão temas como: "O dever de todos na proteção da criança e do adolescente"; " Investigação do crime de abuso sexual de crianças e adolescentes" e " O trabalho infanto-juvenil no contexto da exploração sexual". 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade