Publicidade

Estado de Minas CULTURA DO ESTUPRO

Homem é preso por estuprar pelo menos três mulheres e divulgar imagens

Suspeito já foi preso em 2019 pelos mesmos delitos de estupro e divulgação de relação sexual sem consentimento


17/05/2021 15:28 - atualizado 17/05/2021 15:59

A polícia identificou três mulheres - de 18, 24 e 28 anos - que teriam sido vítimas do investigado(foto: Pixabay/ Reprodução )
A polícia identificou três mulheres - de 18, 24 e 28 anos - que teriam sido vítimas do investigado (foto: Pixabay/ Reprodução )
A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) prendeu um homem de 31 anos, suspeito dos crimes de estupro, divulgação de cena de sexo e nudez sem o consentimento da vítima, e divulgação de cena pornográfica envolvendo menor de idade.

As informações foram repassadas em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (17/5). A polícia identificou três mulheres - de 18, 24 e 28 anos- que teriam sido vítimas do investigado, sendo que a mais jovem tinha 15 anos à época do crime.

O delegado Túlio Leno conta que as investigações começaram por meio de denúncia das vítimas, que relataram a forma como o investigado agia.

“Por um site de encontro, ele [o investigado] identificava as pretensas vítimas e, após algumas tratativas, chegava efetivamente a marcar encontros sexuais. É bom asseverar que, inicialmente, esse encontro era consentido. Ocorre que, de acordo com relatos das vítimas, durante o ato sexual o indivíduo se portava de forma muito violenta, chegando a forçar as vítimas a realizar outros atos sexuais sem consentimento”, detalha Túlio.

Ainda segundo o delegado, o investigado filmava parte da relação sexual e compartilhava em diversos grupos de mensagem, com centenas de integrantes, ocasião em que divulgava também o perfil das vítimas.

Em um caso específico, o investigado filmou o momento em que forçava a vítima a ingerir a urina dele. Esse vídeo, com cerca de seis minutos, também foi compartilhado em aplicativo de mensagem.




Após intenso trabalho investigativo, a equipe de inteligência da 1ª Delegacia de Polícia Civil Barreiro identificou o IP de procedência das mídias ilegais e, posteriormente, o autor dos conteúdos. De acordo com o delegado regional Rômulo Dias, essa é uma segunda atuação da Polícia Civil frente ao mesmo suspeito e prática criminosa.

"Esse suspeito já foi preso em 2019 pelos mesmos delitos de estupro e divulgação de relação sexual sem consentimento.” O delegado ainda explica que o investigado foi colocado em liberdade no final do ano passado.



O homem foi preso preventivamente na última sexta-feira (14/5), em Contagem, na Região Metropolitana. Na casa dele, os policiais ainda apreenderam um celular, um chip de memória, quatro CD’s e duas porções de substância semelhante a maconha. O suspeito foi encaminhado ao sistema prisional, permanecendo à disposição da Justiça. 

 

 

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade