Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Volta às aulas em BH: professores pedem prioridade na vacinação

Segundo o Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais, apesar de a educação ser prioridade para aqueles que ensinam, a vida também é muito importante


19/04/2021 17:54 - atualizado 19/04/2021 20:11

Reabertura das escolas infantis foi anunciada na tarde desta segunda-feira pela Prefeitura de BH(foto: Pixabay/Reprodução)
Reabertura das escolas infantis foi anunciada na tarde desta segunda-feira pela Prefeitura de BH (foto: Pixabay/Reprodução)
Com o anúncio da volta às aulas em Belo Horizonte, os professores e funcionários de escolas estão preocupados com a possibilidade de infecções por COVID-9 durante a recepção das crianças.

Na tarde desta segunda-feira (19/4), o secretário municipal de Planejamento e Orçamento, André Reis, anunciou que crianças de até 5 anos e 8 meses podem retornar às escolas a partir da próxima segunda-feira (26/04).

A medida preocupou os professores, que pedem para ser prioridade na vacinação por estarem na linha de frente da pandemia. Segundo o Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais (Sindpro), apesar de a educação ser prioridade para aqueles que ensinam, a vida também é muito importante.

Em conversa com o Estado de Minas, uma das diretoras do Sindpro Antonieta Shirlene Mateus explicou as razões de os professores não apoiarem a reabertura de escolas neste momento.
“O sindicato defende a vacinação para toda a população, incluindo os professores. Nós não somos contra a volta das aulas, somos a favor da vacinação dos profissionais. Mas também sabemos os problemas que envolvem a vacinação no Brasil neste momento”, lamenta a professora.

Segundo Antonieta, o Sindpros não concorda com a decisão da Prefeitura de BH porque a volta às aulas para escolas infantis significa a “exposição de professores”, já que os profissionais precisam transitar pela cidade e pegar transportes públicos.

“Além do contato com as crianças e familiares, o que já pode ser considerado uma pequena aglomeração e tudo que nós não precisamos agora é de aglomeração”, diz. 

Questionada sobre a fala do secretário municipal de Saúde, Jackson Machado, de que que não vai fazer professores "furarem a fila" do Ministério da Saúde, em referência ao Plano Nacional de Imunização (PNI), Antonieta disse que concorda com o secretário quando se diz em priorizar pessoas de mais idade.

“É claro que a prioridade da vacinação são os mais velhos. Mas caso a imunização dos profissionais não afete essa linha, porque os professores não podem ser vacinados? É claro que a nossa prioridade é a educação, mas também precisamos colocar à frente a nossa vida”, explica.

Leia: Escolas particulares de BH aprovam volta às aulas na semana que vem

Coletiva


Na tarde desta segunda-feira, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), convocou uma coletiva para anunciar a reabertura da cidade. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade