Publicidade

Estado de Minas VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

Madrugada tem 3 mulheres esfaqueadas por homens na Grande BH; duas morreram

Em uma das ocorrências, padrasto alegou surto e matou a enteada de 15 anos. Foi o próprio autor que acionou a Polícia Militar


18/04/2021 10:01 - atualizado 18/04/2021 16:51

(foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press)
(foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press)
A madrugada teve várias ocorrências de violência contra a mulher na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), com dois feminicídios consumados. No Bairro São Lucas, Região Centro-Sul de BH, a Polícia Militar foi acionada pelo próprio autor de um homicídio, um homem de 33 anos, que, alegando surto, tirou a vida da enteada de 15 anos.

Quando os militares chegaram ao endereço, o autor acenou para a viatura. O homem declarou que havia agredido a enteada com uma faca e que ela estava morta no sofá do apartamento em que moram. Dentro do apartamento, os militares encontraram a jovem no sofá da sala com muito sangue na região da cabeça e do pescoço.

Como a vítima ainda apresentava sinais vitais, parte da guarnição envolveu seu corpo em uma coberta para ajudar as descer a escadaria e a levaram na própria viatura para receber atendimento médico. Porém, a jovem não resistiu e já chegou ao Hospital João XXIII sem vida.

Os militares que ficaram no apartamento perceberam que duas portas estavam trancadas pelo lado de fora, que eram os quartos da mãe e da irmã mais nova da vítima. Segundo os policiais, ambas dormiam profundamente. Ao serem acordadas, mãe e filha não tinham  informação alguma sobre o ocorrido.

No Boletim de Ocorrência, os militares relataram que, quando a vítima foi colocada na maca do hospital, foi observado que sua bermuda estava bem abaixo da linha da cintura, informação que pode ajudar nas investigações do ocorrido. O autor do homicídio e a mãe da vítima foram encaminhados para a Delegacia de Atendimento à Mulher, que vai investigar o caso.

23 facadas 


Já no município de Itaguara, na RMBH, um homem de 31 anos matou a esposa com 23 golpes de faca. Ao chegar no local do crime, do Bairro Dos Dias, os militares encontraram Jucelina Silva de Paula, de 28 anos, no chão da casa com vários ferimentos.

Em seguida, um homem apareceu em posse de uma faca alegando que estava ferido. Os militares deram ordem para que ele largasse a arma e deitasse no chão, o que foi acatado. O Samu compareceu ao local e constatou o óbito. Como o autor estava ferido, foi levado para o Hospital de Itaguara, para depois ser transferido para a Unidade de Tratamento Intensivo de Itaúna, também na RMBH.

Após o socorro, os militares fizeram isolamento da residência para a perícia e começaram a ouvir testemunhas para chegar ao motivo do homicídio. O irmão do autor relatou que, quando chegou na casa, encontrou o homem deitado sobre a vítima. A testemunha disse que tirou o irmão de cima do corpo da cunhada e colocou ao lado, para em seguida avisar os parentes.

A cunhada do autor disse aos militares que, depois do homicídio, conversou com o filho mais velho do casal, de apenas 11 anos, que havia lhe contado que presenciou o pai esfaqueando a mãe, para depois desferir golpes de faca contra o próprio corpo, na tentativa de se matar. No momento do crime, ainda estavam em casa os filhos mais novos do casal, de 7 e 2 anos, que foram levados para a casa do avô paterno.

Segundo testemunhas, o casal estava em processo de separação, o que não foi bem aceito pelo autor. A guarnição policial ainda foi até o hospital de Itaguara e conversou brevemente com o homem. Em sua versão, ele conta que viu mensagens de traição no celular da esposa e que, ao tentar conversar, ela teria desferido diversas facadas nele, que pegou a arma e usou contra ela.  

A perícia contabilizou na vítima 23 perfurações, no tórax, braços e costas. A arma foi apreendida e o corpo recolhido para o Instituto Médico Legal de Betim. A ocorrência foi encaminhada para Delegacia de Plantão de Betim.

Lesão corporal 


Em outra ocorrência, no Bairro Lindeia, Região do Barreiro, um homem de 41 anos deu uma facada na companheira de 43 anos. Ela contou aos policiais que o marido chegou em casa alcoolizado, pegou uma faca e a agrediu sem haver qualquer motivo.

O agressor foi encontrado no quarto nu, com hálito etílico, andar cambaleante e fala desconexa. Devido ao estado de embriaguez, não foi possível ouvir a versão do homem.

Ferida no antebraço, a mulher foi levada para a Upa Barreiro, onde o ferimento foi suturado e ela liberada. O caso ficou sob responsabilidade da Delegacia de Atendimento à Mulher.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade