Publicidade

Estado de Minas DOAÇÔES

Associações de moradores em Betim se mobilizam para combate à fome

Suspensão de kits merenda para alunos da rede municipal agravaram situação. Prefeitura diz que distribuição será retomada no fim de abril


09/04/2021 14:37 - atualizado 09/04/2021 15:09

(foto: Campanha contra a fome em Betim/Divulgação)
(foto: Campanha contra a fome em Betim/Divulgação)

Entidades de associações de moradores se mobilizam em Betim, na Região Metropolitana de BH, para distribuição de cestas básicas a famílias vulneráveis  do município. A entrega dos alimentos arrecadados junto à população começará neste sábado (10/4). A situação se agravou com a suspensão em dezembro da distribuição do kit merenda, fornecido pela prefeitura, aos estudantes da rede municipal de ensino.
 
A Prefeitura de Betim infomou que encerrou um cadastramento de alunos na quarta-feira (7/4)  e que o kit tem previsão de começar a ser entregue no dia 27 de abril, seguindo os protocolos de biossegurança estabelecidos pelo município.
Segundo nota enviada pela Secretaria de Comunicação, todos "os cerca de 59 mil estudantes matriculados nas escolas municipais do ensino fundamental, nos Centros Infantis Municipais - CIMs, nas creches parceiras e também os estudantes da EJA (Educação de Jovens e Adultos) têm direito ao benefício."
 
Enquanto a entrega do kit pela prefeitura não começa, a campanha de arrecadação já reuniu doações de alimentos e em dinheiro. Porém, ainda está longe de atender a tanta demanda. A diretora da Associação de Moradores do bairro Alto Cruzeiro, Dominga Pereira da Silva, 37 anos, disse que são muitos os chefes de família desempregados. Na semana passada, eles conseguiram 25 cestas doadas pelos Anjos do Asfalto.
 
A líder comunitária, Dominga Pereira da Silva está preocupada com levado número de famílias em situação de fome(foto: Arquivo pessoal)
A líder comunitária, Dominga Pereira da Silva está preocupada com levado número de famílias em situação de fome (foto: Arquivo pessoal)
"Eu calculo que só na região do Marambaia seriam necessárias pelo menos umas 600 cestas. O kit merenda era bem simples, não supria as necessidades de um mês para uma família acima de quatro pessoas, mas era o que tinha para comer. Agora, nem isso", lamenta a líder comunitária.
 
Ela conta que muitas diretoras de escolas no município relataram casos de pais e mães indo às instituições com sacolas à espera de algum alimento. "A merenda escolar era a refeição principal dessas pessoas."
 
Maria Auxiliadora Martins Rodrigues, presidente  e representante da sociedade civil no Conselho Municipal de Alimentação, questionou o tempo levado pela prefeitura para cadastrar os alunos. "A simples matrícula não seria a garantia de cadastro?", questiona.  
 
Ela conta que o conselho fez essa sugestão para que as pessoas, sem acesso a internet ou sem condições de se dirigir a uma regional pudesse constar da lista dos beneficiários, mas que não obteve resposta. 
 
Em nota, a Prefeitura de Betim informou que o processo de cadastramento encerrou no dia 7/4 (quarta-feira) , "prazo para que os responsáveis pelos alunos, matriculados na rede municipal, preenchessem os dados necessários para o requerimento do Kit Alimentação Escolar 2021. Foi disponibilizado um cadastro online e as famílias sem  acesso à web fizeram presencialmente nas regionais administrativas da cidade. O benefício é uma alternativa à merenda escolar, que deixou de ser oferecida em razão da suspensão das aulas nesse período de pandemia - de março do ano passado para o presente momento."


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade