Publicidade

Estado de Minas LESTE DE MINAS

COVID-19: vacinação de idosos em Valadares teve longas filas e reclamações

Cerca de 1,6 mil idosos com idade acima de 85 anos foram vacinados contra a COVID-19. Muitos reclamaram da espera de até 4 horas na fila e mistura de grupos


02/03/2021 17:39 - atualizado 02/03/2021 18:42

Para chegar à portaria do antigo MIT, na Vila Bretas, os carros tiveram de percorrer lentamente um trajeto de quase 2 quilômetros, com longas paradas(foto: Tim Filho/Esp. EM)
Para chegar à portaria do antigo MIT, na Vila Bretas, os carros tiveram de percorrer lentamente um trajeto de quase 2 quilômetros, com longas paradas (foto: Tim Filho/Esp. EM)
A vacinação de idosos acima de 85 anos contra a COVID-19 em Governador Valadares, iniciada nesta terça-feira (02/3), no sistema drive thru, foi comemorada por uns e alvo de reclamações por outros, por causa da longa fila de espera. Durante todo o dia, cerca de 1,6 mil pessoas foram vacinadas.

Muitos reclamavam que não houve organização nas faixas etárias que receberiam as doses. As pessoas com idade entre 85 anos e 90 anos receberam a primeira dose, e acima de 90 anos, a segunda.

No posto de vacinação da Vila Bretas, localizado na frente do prédio do extinto Minas Instituto de Tecnologia (MIT), uma senhora, que preferiu não se identificar, estava muito irritada ao reclamar com os vacinadores que sua mãe, de 98 anos de idade, estava há três hora na fila de carros à espera da vacina.

Ela alegava que na fila única havia pessoas dos dois grupos que seriam vacinados nesta terça-feira, e que sua mãe, quase centenária, e as demais pessoas acima de 90 anos deveriam estar em uma fila específica, separada dos demais. Recebeu respostas evasivas do pessoal da saúde e ficou ainda mais irritada.

Na Vila Bretas, a fila de carros ocupou um trajeto de 1,7 mil metros, quase 2 quilômetros, dando voltas em quarteirões até chegar ao prédio histórico do MIT, local onde se originou o processo de educação superior em Governador Valadares.

O início da fila era na Rua João Lopes da Silva, quase na esquina com a Rua Pedro Lessa. Deste ponto até ao posto de vacinação, o tempo de espera dos idosos pela vacina durou cerca de 4 horas(foto: Tim Filho/Esp. EM)
O início da fila era na Rua João Lopes da Silva, quase na esquina com a Rua Pedro Lessa. Deste ponto até ao posto de vacinação, o tempo de espera dos idosos pela vacina durou cerca de 4 horas (foto: Tim Filho/Esp. EM)
Do outro lado da cidade, no Campus II da Universidade Vale do Rio Doce, as reclamações eram as mesmas, com o agravante das denúncias de fura-fila. Alguns carros chegavam e de forma sorrateira entravam na frente de outros e seguiam em frente até entrar na área do campus em frente ao Centro Cultural, onde estavam os vacinadores.

Wilma Silva, que levou sogro e sogra (87 e 88 anos de idade, respectivamente) para tomar a vacina, reclamou desse problema e da falta de orientação no início da fila, bem distante da entrada do campus. Ficou quase 4 horas à espera do momento tão esperado, de ver sogro e sogra vacinados.

A prefeitura respondeu as reclamações das pessoas de uma forma genérica. Em nota, esclareceu que o sistema de vacinação drive thru foi uma estratégia realizada com o objetivo de atender o maior número de pessoas possível, evitando aglomerações. 

“Novas estratégias serão avaliadas e divulgadas posteriormente para que a vacina seja aplicada em todos os idosos que estão no grupo prioritário. É importante destacar que as filas de carro são inevitáveis, e que agentes estavam no local organizando o trânsito nos dois pontos. O município pede compreensão da comunidade quanto a esta questão”.
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade