Publicidade

Estado de Minas INVESTIGAÇÃO

Polícia Civil de MG prende suspeito de aplicar golpe 'Don Juan'

Ele conhecia as mulheres por aplicativos de relacionamento, começava um namoro, convencia a vítima a emprestar seu carro e, em seguida, desaparecia


02/03/2021 16:25 - atualizado 02/03/2021 16:53

'Don Juan' foi preso em Santa Catarina, após a polícia puxar sua ficha e encontrar o mandado de prisão em aberto(foto: Divulgação/ PCMG)
'Don Juan' foi preso em Santa Catarina, após a polícia puxar sua ficha e encontrar o mandado de prisão em aberto (foto: Divulgação/ PCMG)
A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), em parceria com a Polícia Civil de Santa Catarina (PCSC), prendeu um homem de 22 anos, suspeito da aplicar golpes em mulheres que conhecia por aplicativos de relacionamento. Os detalhes da investigação foram divulgados nesta terça-feira (2/3). 
 
O homem foi preso em Balneário do Camboriú (SC), após ter sido abordado pela polícia em atitude suspeita. Ao chegar na delegacia, foi constatado que ele tinha um mandado de prisão em aberto, em Minas Gerais, e era considerado foragido na Paraíba, por mais uma condenação.   
 
A PCMG começou a investigar o caso depois que uma mulher, moradora de Contagem, procurou a polícia para denunciar o homem que estava se relacionando, porque ele desapareceu com seu carro. O veículo foi encontrado em Ribeirão das Neves, com uma terceira pessoa, que comprou o carro do suspeito.
 
“Ele pegou o carro da vítima como se fosse emprestado, saiu com esse carro e se ausentou por dois dias, o que despertou uma imensa suspeita. Ela (a vítima) passou a procurar o veículo e, por meio do rastreador que tinha no veículo, localizou-o em Ribeirão das Neves, já na posse de outra pessoa, que soubemos também ser outra vítima”, diz o delegado Clayton Ricardo da Silva. 
 
Essa pessoa não sabia que estava caindo em um golpe e, como parte do pagamento, entregou o veículo antigo para pegar outro modelo, supostamente vendido pelo homem. A polícia conseguiu recuperar os dois carros, mas o suspeito ainda estava foragido.
 
Segundo o delegado, o homem conhecia mulheres por aplicativos de relacionamento, ostentava uma vida de luxo e durante um período eles se relacionavam. Ele as convencia que o amor era recíproco e conseguia a confiança das vítimas, para entregar seus bens, como veículos, além de induzi-las a fazer transferências bancárias para terceiros, em proveito próprio. 
 
Ao pegar o veículo, ele vendia para uma terceira pessoa, com promessa de estar tudo certo com a transação e que a transferência de dono seria feita dentro de alguns dias. Entretanto, ele desaparecia. 
 
O golpe de estelionato foi batizado como ‘Don Juan’ e, desde julho de 2020, a PCMG investigou o caso, encontrando, inclusive, uma outra mulher de 44 anos. Ela se dizia namorada do suspeito e admitiu ter aproveitado do dinheiro obtido em um dos golpes, sendo indiciada por um dos crimes, já que recebeu uma quantia e gastou. 
 
De acordo com o delegado, o homem está envolvido com 19 ocorrências em Minas Gerais, incluindo violência patrimonial e doméstica. Há suspeita de que ele tenha feito outras vítimas em outros estados, além da Paraíba. 
 
Um carro de luxo foi apreendido durante as investigações e segundo a PCMG, a vida do suspeito era de muita ostentação, com fotos em banheiras, viagens e produtos de luxo. Ele falava para as vítimas dos aplicativos que morava em uma mansão da Pampulha, que na verdade era uma república que alugava quartos. 
 
O suspeito foi indiciado por estelionato em duas modalidades: obter vantagem ilícita e vender coisas alheias, como se fossem próprias. De acordo com a Polícia Civil, ele está preso no Complexo Penitenciário do Vale do Itajaí, em Santa Catarina, e em breve será transferido para Minas Gerais. 
 
* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade