Publicidade

Estado de Minas MONTES CLAROS

Policial penal é condenado a 37 anos de prisão por morte de universitário

Crime ocorreu em 2016 em uma casa de festas. Outros três jovens foram feridos pelos disparos


24/02/2021 11:39 - atualizado 24/02/2021 14:38

Estudante de direito Vinicius Cordeiro foi assassinado(foto: Álbum de família/Divulgação)
Estudante de direito Vinicius Cordeiro foi assassinado (foto: Álbum de família/Divulgação)
Em júri popular, que terminou na madrugada desta quarta-feira (23/2), no Fórum de Montes Claros, foi condenado a 37 anos de prisão em regime fechado o policial penal Luiz Fernando Figueiredo Aquino, acusado da morte do estudante de direito Vinícius Afonso Silva Cordeiro, de 23 anos. O crime ocorreu durante uma confusão em uma casa de festas na cidade do Norte de Minas, em abril de 2016, e teve grande repercussão.

O policial penal foi condenado pelo assassinato do universitário (que levou cinco tiros) e pela tentativa de homicídio contra três jovens feridos com os disparos feitos por ele durante a confusão na festa: Tarcísio Martins Silva (atingido no braço direito), Vitor Almeida Vieira (baleado na mão esquerda) e Anne Caroline de Miranda Pinho (ferida com um tiro de raspão e com estilhaços).

A sentença foi lida à 0h30 desta quarta-feira pelo juiz presidente do Tribunal do Júri, Geraldo Andersen de Quadros Fernandes, depois de 16 horas de julgamento. O advogado do réu, João Ricardo Batista de Oliveira, alegou que Luiz Fernando agiu em legítima defesa, sendo confrontado pela promotora Thalita da Silva Coelho.

O argumento não foi considerado pelos sete jurados, que reconheceram a materialidade e a autoria do homicídio, com as qualificadoras de motivo fútil, uso de meio que resultou em perigo comum e emprego de recurso que dificultou a defesa da vítima.

O réu foi condenado a 18 anos por homicídio consumado e mais 19 anos pelas três tentativas de homicídio. O policial penal foi levado de volta para o Presídio de Bocaiúva, na mesma região, onde já estava recolhido preventivamente.

Durante a sessão do júri, familiares de Vinicius Cordeiro fizeram uma manifestação em frente ao fórum, pedindo justiça. Eles exibiram faixas e cartazes.

Família de universitário fez manifestação em frente ao fórum(foto: João Victor Cordeiro/Divulgação)
Família de universitário fez manifestação em frente ao fórum (foto: João Victor Cordeiro/Divulgação)


O pai do estudante de Direito, o contador José Afonso Gomes Cordeiro, também acompanhou o julgamento o tempo todo, disse que a família se sente aliviada com a condenação do policial penal. Porém, a tristeza causada pela morte do seu filho jamais será eliminada.

“Ficamos satisfeitos com o resultado do julgamento. Ao mesmo tempo, também ficamos tristes porque sabemos que a condenação não vai trazer o meu filho de volta. Mas pelo menos a justiça dos homens foi feita”, afirmou o contador. 

José Afonso declarou ainda que estava com “receio” de que o policial penal não fosse condenado por causa da estratégia da defesa. “Ficamos aliviados com a condenação. Ele (o réu) acabou com uma vida, mas também ficou sem a vida porque um homem sem liberdade não tem história”, disse o pai do universitário assassinado.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade