Publicidade

Estado de Minas ROLA MOÇA

Manifestantes protestam contra mineração na Serra do Rola Moça

Uma carreata foi em direção ao Mirante Morro dos Veados; manifestantes alertam para os impactos ambientais que a mineração causará


24/01/2021 18:14 - atualizado 25/01/2021 19:18

Manifestantes contra a mineração no Parque Rola Moça (foto: ILana Lansky)
Manifestantes contra a mineração no Parque Rola Moça (foto: ILana Lansky)
Na manhã deste domingo (24/01) manifestantes fizeram carreata até o Mirante Morro dos Veados, em Ibirité, Grande BH, em protesto contrário à instalação da mineradora MGB, no Parque Estadual da Serra do Rola Moça.
 
A data do ato foi escolhida propositalmente, para lembrar a véspera do crime ambiental em Brumadinho, há dois anos. Nesta segunda manifestação, os integrantes querem chamar atenção para o impacto negativo que a mineração no Rola Moça trará para o meio ambiente e para a qualidade de vida da população.
 
O projeto em questão pretende construir uma estrada dentro do parque, que é uma Unidade de Conservação e, segundo os manifestantes, isso pode causar extinção da mata atlântica local, trânsito intenso de caminhões e, consequentemente, poluição ao ambiente.
 
Além da mineração, a manifestação visou alertar que o projeto atual de construção da alça sul do novo Rodoanel causará grande impacto na Serra do Rola Moça. Uma possibilidade de traçado da rodovia passará pelo parque e os manifestantes acreditam que isso irá prejudicar ainda mais o acervo ambiental da região. 
 
Carreata saiu da Praça de Casa Branca e foi em direção ao Mirante Morro dos Veados(foto: ILana Lansky)
Carreata saiu da Praça de Casa Branca e foi em direção ao Mirante Morro dos Veados (foto: ILana Lansky)
 
 
A manifestação contou com um roteiro que começou na Praça de Casa Branca, a qual os carros se reuniram para sair da carreata em direção ao parque. A manifestação começou por volta de 11h no Mirante Morro dos Veados. 
 
Em nota, a Mineração Geral do Brasil (MGB) informou que começou a recuperação ambiental da Mina Casa Branca, no dia 18/01, cumprindo uma ordem judicial, da Agência Nacional de Mineração e da Legislação Vigente. 
 
Pontuou que as obras são de extrema importância porque "é preciso eliminar todo e qualquer risco de rompimento da barragem alteada a montante. Minas Gerais merece todos os cuidados, esforços e investimentos necessários para tanto".
 
A MGB assegurou que "as atividades na Mina Casa Branca serão realizadas em conformidade com projetos geotécnicos e sem qualquer interferência no lençol freático". 
 
*Estagiária sob supervisão do subeditor Eduardo Oliveira 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade