Publicidade

Estado de Minas POLICIAMENTO

PM inicia ações para coibir assaltos a motoristas de aplicativos em BH

Nova operação teve início nesta terça-feira e conta, entre outras medidas, com fiscalizações mais frequentes e localização dos veículos por meio de GPS


12/01/2021 17:01 - atualizado 12/01/2021 17:30

Motoristas de aplicativos reclamam da falta de segurança nas ruas de BH(foto: Leandro Couri/EM/D. A Press)
Motoristas de aplicativos reclamam da falta de segurança nas ruas de BH (foto: Leandro Couri/EM/D. A Press)
O número crescente de assaltos a motoristas de aplicativos desde o último dia de 2020 causa revolta não só nos alvos dos ladrões, mas na sociedade de modo geral. Por isso, depois de reunião na segunda-feira (11/1) entre representantes de motoristas, Governo de Minas, empresas de aplicativos e Polícia Militar, ficou definido pela implementação de medidas de proteção não só dos profissionais, mas também de passageiros. E as primeiras ações começaram nesta terça-feira (12/1).

A inspiração veio da "Operação Para Pedro”, criada no início da década de 1980 para reduzir o número de assaltos a motoristas de táxis. Na época, eram muitos os casos de taxistas assassinados. 

Segundo a capitã Layla Brunella, porta-voz da PMMG, é fundamental a parceria com as empresas de aplicativos: "Dependemos das informações deles, pois a parceria não existiria sem a tecnologia, que nos tempos atuais é um fato positivo a mais, que não havia nos tempos da 'Para Pedro'”. 

A partir de agora, a PM ficará informada sobre a localização dos veículos a partir do GPS dos aplicativos e vice-versa. “No aplicativo, o motorista será informado onde a Polícia Militar estará, próxima ao seu percurso. Assim, se desconfiar do passageiro bastará seguir para um desses pontos que estarão marcados no mapa”, diz a capitã Layla.

Será, segundo a capitã, como uma rede de motoristas protegidos: “Faremos reuniões com os motoristas para orientá-los, tanto com dicas de segurança quanto sobre as operações da PM”, afirma a oficial.

A PM também está solicitando às empresas que criem formas de identificar os veículos de aplicativos, por meio de faixas nos carros, por exemplo. “Isso é, sem dúvida, um item de segurança, tanto para motoristas quando para passageiros. O carro de aplicativo deixará de ser igual aos demais veículos que trafegam nas nossas ruas e avenidas.”

Fiscalização mais intensa


Haverá ainda um horário em que a fiscalização será intensificada: das 22h às 6h. “Nesse horário registra-se o maior número, maior demanda, de assaltos a esse tipo de transporte. As abordagens acontecerão com uma maior periodicidade”, conta a capitã.

De 2 a 12 de janeiro foram presos 11 autores desses crimes, sendo 10 maiores de idade e um menor. As prisões aconteceram em Vespasiano, Sabará, Contagem, São José da Lapa e Betim. Nessas localidades ocorreu a maioria dos assaltos a motoristas de aplicativos. 

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade