UAI
Publicidade

Estado de Minas Mais leitos

Com aumento dos casos de COVID-19, Uberlândia reabre 16 leitos de UTIs

A cidade até agora trabalhava com 30 leitos de UTI para COVID-19 e chegou a ater 90% deles ocupados nos últimos dias


12/01/2021 09:15 - atualizado 12/01/2021 09:23

Há outros 16 leitos de UTI no anexo do Hospital(foto: Divulgação/Secom/Valter de Paula)
Há outros 16 leitos de UTI no anexo do Hospital (foto: Divulgação/Secom/Valter de Paula)
A Prefeitura de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, reativou 16 leitos de UTI no anexo do Hospital Municipal para atendimento exclusivo de pacientes graves de COVId-19. O objetivo é diminuir a pressão desse tipo de demanda, que cresceu em janeiro com alta de novos contágios no município. Foi pedido aos moradores que evitem festas particulares.

A cidade até agora trabalhava com 30 leitos de UTI para COVID-19 e chegou a ter 90% deles ocupados nos últimos dias. Há outros 16 leitos do tipo no anexo do Hospital que podem ser reabertos e mais 10 no próprio Municipal. Em novembro de 2020, o município desativou 42 leitos de UTI específicos de COVID-19. À época, foi informado que esses mesmos leitos poderiam ser ativados caso houvesse aumento de demanda.



A prefeitura ainda diz que as Unidades de Atendimentos Integrado (UAI's) possuem 29 leitos de emergência com estrutura semelhante a UTI, com respiradores, monitores, medicamentos e equipe médica e de enfermagem.

O número de casos confirmados chegou a 47.116 nesta segunda-feira (11/01), com a confirmação de mais 562 pacientes contaminados com o novo coronavírus. Com a retomada dos 16 leitos, a ocupação de pacientes graves caiu para 66%. No domingo, ela era de 90%.

O número de exames RT-PCR também é outro problema, já que que triplicou no geral e gerou gastos de R$ 1,5 mi para a Prefeitura.

“O que falamos em dezembro está acontecendo. Pedimos a população que evitasse realizar confraternização nas festividades de fim de ano. Muitos desconsideraram o alerta, e agora estamos sentindo o reflexo disso. Foram 6 mil exames na rede pública e 3 mil na rede particular em apenas uma semana, com 2,5 mil casos positivos. Caso o índice de contágio permaneça ascendente, haverá um esgotamento da rede municipal e não vamos conseguir atender a população”, enfatizou o secretário de Saúde, Gladstone Rodrigues.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade