Publicidade

Estado de Minas

Suspeito de tráfico executa adolescente por causa de dívida de R$ 70

Crime teve resquícios de crueldade, com vítima tendo sido espancada, um braço quebrado e ainda jogaram soda cáustica nos ferimentos


11/01/2021 21:47

O alerta da morte de Carla foi dado por três vizinhas(foto: Google/Reprodução)
O alerta da morte de Carla foi dado por três vizinhas (foto: Google/Reprodução)
Carla Vitória de Oliveira, de 16 anos, é mais uma vítima do tráfico de drogas. Ela tinha uma dívida com um suspeito de tráfico do Bairro São Benedito, em Santa Luzia, na Grande BH, no valor de R$ 70 e teria sido executada a mando deste, por cinco homens, que antes de matá-la, a espancaram e quebraram um de seus braços.
 
Também jogaram soda cáustica em cima dos ferimentos. Uma suspeita de envolvimento com o crime foi presa, uma mulher de 18 anos, e um menor de 14 foi apreendido. Ambos seriam ligados ao traficante mandante do crime, que ocorreu na Rua Urupema, 148, Bairro São Cosme, em Santa Luzia.

O alerta da morte de Carla foi dado por três vizinhas. Uma delas contou que ela e duas amigas estranharam o fato de Carla não ter aparecido na manhã desta segunda-feira (11/1). Duas delas resolveram entrar na casa e encontraram o corpo da vítima, bastante ensanguentado, de bruços, em cima da cama, quando decidiram chamar a PM.

A casa onde o corpo foi encontrado é de propriedade da mãe de uma amiga, que teria estado com a vítima na noite de domingo, numa praça próximo ao local do crime. Nas primeiras investigações, os militares conseguiram informações de que a amiga desaparecida frequentava a casa de um traficante, no Bairro São Benedito

Foram até o endereço e a encontraram, a mulher de 18 anos, junto com o menor. Esta contou aos policiais que teria estado com Carla na noite de domingo e que as duas foram até a casa onde a amiga estava residindo. Em dado momento, o namorado de carla teria chegado e eles saíram. Carla voltou pouco tempo depois, segundo a mulher, bastante nervosa, pois tinha brigado com o namorado.

Ela então deixou a casa. Já o menor contou que estava no local, no momento do crime, mas que não participou da execução, que foi feita por cinco homens, que teriam agredido a vítima, quebrado um de seus braços e ainda por cima, jogado soda cáustica nos ferimentos.

Os dois foram levados para a Delegacia de Santa Luzia e a expectativa dos policiais é que a partir de informações da mulher e do menor, cheguem aos criminosos: o mandante e os excutores.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade