Publicidade

Estado de Minas Inquérito

Polícia Civil de Uberlândia indicia padrasto e mãe por estupro

Os abusos aconteciam há meses e mesmo depois de as filhas terem contado o que acontecia, a mãe não fez nada sobre o caso


07/12/2020 13:36 - atualizado 07/12/2020 13:53

Delegacia também pediu ao MPMG ação para destituição familiar(foto: Divulgação/Secom)
Delegacia também pediu ao MPMG ação para destituição familiar (foto: Divulgação/Secom)
A Polícia Civil de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, indiciou mãe e padrasto pelo estupro de duas meninas, com 10 e 12 anos. O homem, que tem 58 anos, estava preso desde novembro, após ser flagrado abusando de uma das vítimas.

Segundo a delegada de Proteção à Criança e ao Adolescente, Lia Valechi, os abusos aconteciam há meses e em fevereiro deste ano uma das vítimas contou à mãe que o padrasto estava praticando abusos sexuais contra ela. A mãe não teria tomado providências contra o agressor.
No dia 21 de novembro, no Bairro Pequis, a enteada mais velha flagrou o padrasto se masturbando na presença da irmã da mais jovem, o que a fez levá-la para a casa de uma vizinha. A Polícia Militar foi chamada. A mãe das meninas teria sido comunicada do ocorrido e mais uma vez foi omissa.

“O homem foi indiciado por estupro de vulnerável e satisfação da lascívia mediante presença de criança ou adolescente e a genitora foi indiciada por estupro de vulnerável em sua forma omissiva imprópria ou comissiva por omissão, uma vez que, por lei, poderia e deveria agir para que o atos libidinosos não continuassem a existir mas nada fez”, explicou Lia Valechi.

A delegacia representou também junto ao Ministério Público da Infância e Juventude a instauração de ação para destituição ou suspensão do poder familiar da mulher por sua negligência e omissão.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade