Publicidade

Estado de Minas RACHADURAS

Prédio que tombou em Betim será demolido até sábado

Na madrugada desta quinta-feira, novas rachaduras no edifício acenderam alerta para a Defesa Civil. Construtora ainda não se pronunciou


19/11/2020 16:26 - atualizado 19/11/2020 18:12

Famílias que moravam no prédio foram alojadas provisoriamente em casa de parentes e amigos(foto: Edesio Ferreira/EM/D.A Press)
Famílias que moravam no prédio foram alojadas provisoriamente em casa de parentes e amigos (foto: Edesio Ferreira/EM/D.A Press)

Enquanto 15 famílias continuam alojadas provisoriamente na casa de parentes e amigos, a procuradoria-geral da prefeitura de Betim afirmou que o prédio que tombou no Bairro Ponte Alta nesta quarta-feira (18) será demolido até sábado. Nesta quarta-feira, representantes de uma empresa de demolição estiveram no local para avaliar as condições e começar a planejar o processo de destruição do imóvel, cuja construção foi feita pela Abrahim Hamza Construções Eireli. Representantes da prefeitura acompanharam a visita.

O município anunciou que contratou a empresa Emolidora Solum para fazer a demolição do local. A empresa apresentará o plano de trabalho para a Defesa Civil e, se aprovado, os trabalhos devem começar nesta sexta-feira (20).
"Esperamos nos próximos dias uma decisão judicial. Mas, como estamos próximos de um feriado municipal, já contratamos uma empresa para fazer um laudo sobre a demolição e caso esse laudo fique pronto, nesse fim de semana será feita a demolição", afirma o procurador-geral da prefeitura, Bruno Cypriano.
 
De acordo com ele, os custos da demolição ficarão sob responsabilidade do município. Em seguida, a construtora deverá recompensar o valor gasto à prefeitura. "J fizemos o bloqueio dos bens do proprietário da empresa. O município arcará com os custos e depois será ressarcido na ação. É uma construtora grande, uma empresa individual. Até pedi o contato do diretor, mas parece que é só uma pessoa mesmo. Com relação aos documentos, a empresa tinha permissão para construir. A autorização ocorre com base no projeto. A verficiação da obra ocorreria quando ela fosse solicitar o habite-se, que é o segundo passo e não havia sido feito ainda".
 
Na madrugada desta quinta-feira, novas rachaduras no edifício acenderam nova alerta para a Defesa Civil, o que acelerou a necessidade da demolição de forma mais rápida, para não ver mais danos às casas vizinhas. No total, uma equipe de 10 pessoas ds Defesa Civil está atuando no local.
 
Bruno Cypriano admite que a última fase do planejamento do prédio pode ter tido falhas: "É uma obra cujo projeto foi aprovado pela prefeitura. O projeto está correto, mas pode ter ocorrido um erro de execução". O município também protocolou, nesta tarde, uma ação judicial requerendo tutela antecipada para que a construtora seja obrigada a realizar a demolição do prédio, dentro de 24 horas, e dê amparo às famílias.
 
Por meio da Secretaria Municipal de Ordenamento Territorial e Habitação, a prefeitura afirma que a obra estava devidamente licenciada, possuía alvará de construção, licença Ambiental e responsável técnico cadastrado nos órgãos responsáveis. 
 
De acordo com a Defesa Civil, apenas uma das casas vizinhas foi atingida por tijolos e entulhos que se desprenderam do prédio na hora do tombamento. A Guarda Municipal está atuando para evitar que os moradores transitem no local. As 15 famílias foram para casas de parentes e amigos.

A prefeitura de Betim determinou que a construtora faça alocação das famílias desalojadas em hotel. Até nesta quinta-feira, a determinação não havia sido cumprida. Assim que for concluída a demolição, as famílias terão autorização para voltar às residências. Antes, será necessário mais uma vistoria da Defesa Civil. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade