Publicidade

Estado de Minas PASSA QUATRO

Substituição de prefeito reeleito que morreu na véspera da votação ainda não foi autorizada

Antônio Claret Mota Esteves sofreu um infarto no último sábado (14) e foi reeleito com mais de 60% dos votos; Partido Verde fez a solicitação de substituição por Henrique Nogueira Gonçalves, atual vice-prefeito


17/11/2020 10:12 - atualizado 17/11/2020 12:28

Assessoria afirma que população votou sabendo que os votos iriam para o vice-prefeito(foto: Reprodução/Facebook)
Assessoria afirma que população votou sabendo que os votos iriam para o vice-prefeito (foto: Reprodução/Facebook)
A Justiça Eleitoral ainda não deferiu a substituição do candidato que morreu na véspera da votação. Antônio Claret Mota Esteves foi reeleito com 60,8% dos votos. Ele sofreu um infarto no último sábado (14). O Partido Verde fez a solicitação de substituição por Henrique Nogueira Gonçalves, atual vice-prefeito.

 

De acordo com o advogado da coligação, logo após a noticia da morte, o partido fez uma reunião e decidiu a substituição por Henrique Nogueira Gonçalves, o atual vice-prefeito. “Diante da proximidade do pleito, não deu tempo de o juiz resolver os trâmites legais processuais. A lei eleitoral permite essa substituição em caso de morte, desde que o candidato preencha os requisitos legais”, diz Acácio Mendes de Andrade Junior.

 

O advogado explica que esse processo de deferimento vai analisar, exclusivamente, se o novo candidato preenche os requisitos legais. “O Henrique preenche todos eles e não tem nenhuma condenação criminal. Isso sendo analisado pelo magistrado, certamente vai ser deferida a candidatura e os votos serão repassados para o Henrique”, completa.

 

Marco Torres, candidato a vice-prefeito, e Henrique Nogueira Gonçalves, atual prefeito interino (foto: Redes Sociais)
Marco Torres, candidato a vice-prefeito, e Henrique Nogueira Gonçalves, atual prefeito interino (foto: Redes Sociais)
Segundo a assessoria de imprensa do prefeito, o jurídico garantiu que a documentação de Henrique segue todos os requisitos da lei eleitoral. “Passa Quatro é uma cidade pequena, então não foi difícil alcançar toda a população. Eles votaram sabendo que na urna apareceria a foto do Claret, mas que os votos seriam para o Henrique. Foi uma campanha limpa e difícil, porque o Claret era muito querido na cidade”, afirma.

 

Impasse

 

A Justiça Eleitoral confirmou que o pedido de substituição da candidatura foi feito dentro do prazo legal e o resultado deve sair ainda nesta semana. Caso a substituição não seja autorizada, os votos vão ser anulados e a Justiça vai decidir se a cidade terá nova eleição ou se os votos vão para o segundo colocado no pleito, Betinho Paiva (DEM), com 35,61% dos votos (3.302).

 

De acordo com o Tribunal de Justiça Eleitoral (TSE), três candidatos concorreram à Prefeitura de Passa Quatro. Além de Claret e Betinho, Dr. Aledson (PSC) somou 333 votos (3,59%) e a cidade ainda teve 666 votos nulos e outros 244 brancos.

 

Enquanto isso, Henrique Gonçalves segue como prefeito interino. Ele assumiu o cargo quando Claret teve o infarto. “O Claret é um político insubstituível em nossa cidade. Tem mais de 35 anos de vida pública. Foi prefeito duas vezes, vice prefeito três mandatos, vereador. Mas a luta continua. Nesses quatro anos, de muita amizade e cumplicidade, a gente fez pela cidade muitas obras, melhorias na saúde. Tomando posse, uma vez eleito, nós vamos manter esse legado que ele deixou”, lamenta.

 

Trajetória de Claret

 

Claret de terno escuro tomando posse aos 28 anos(foto: Ascom prefeitura)
Claret de terno escuro tomando posse aos 28 anos (foto: Ascom prefeitura)
Claret não era casado e não tinha filhos. Em 1986, ele chegou a ser o prefeito eleito mais novo da história de Passa Quatro, aos 28 anos. O político também foi vereador, presidente da Câmara, vice-prefeito e prefeito em duas ocasiões. “Ele viveu para o cargo público. Acompanhei a trajetória dele no hospital. Ele lutou até o fim. O tempo todo foi confiante, dizendo que ia sair dessa”, Flávia Pessoa, amiga do político.

 

Claret começou a passar mal no começo da campanha política. Ele sofreu um infarto, no início deste mês de novembro, e chegou a ficar duas semanas internado no Hospital Regional, em Varginha. A morte foi confirmada no fim da tarde de sábado (14). O corpo dele foi velado na quadra poliesportiva da cidade. Um cortejo aconteceu na Câmara Municipal e, em seguida, Claret foi no Cemitério Municipal, na tarde de domingo (15).

 

Bandeiras foram colocadas a meio mastro na Prefeitura de Passa Quatro em homenagem a Claret. A cidade declarou luto oficial de três dias.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade